Archive for the 'Menu #1' Category

O ápice da minha vida.

Eu nunca acordo de bom humor. Nunca mesmo. Sou do tipo que, se o papa estivesse brincando comigo quando eu acordo, eu daria um soco na cara dele.  Não que eu o tratasse diferente por ser o papa, e sim por ser um idoso. Não gosto de bater em idosos, só em crianças e grávidas. Leprosos eu também bato, mas esses exigem uns cuidados a mais e tal.

Mas sexta eu acordei com um humor especial, por que a próxima vez que eu fosse dormir, eu seria uma pessoa completamente diferente.

Fui pra escola e ela pareceu mais monótona do que ela já é normalmente. E olha que normalmente ela já é monótona pra cacete. De lá, fui pro curso e se tivessem me mandado pra prisão eu estaria com um humor melhor. Sério, quem estuda no CCAA sabe o QUÃO CHATO é esta porra, mas sempre consegue se superar. O CCAA é tão chato que nem dormir resolve, por que até os sonhos que tu tem são chatos. Isto é, quando a professora não te acorda poucos segundos depois de tu apagar.

Continue lendo ‘O ápice da minha vida.’

Ainda há salvação na música brasileira.

Desde que eu nasci eu fui cercado de música “boa”. Boa entre aspas, por que gosto vai de cada um. Eu, por exemplo, gosto de falar mal do gosto dos outros, então tudo o que eu não considero bom é, de quebra, ruim. Por que se fosse realmente bom, eu gostaria. É uma analogia bem simples que até quem tem gosto ruim consegue entender.

Meu irmão, na época, tinha 7 anos e ouvia coisas tipo Backstreet Boys. Sério. Mas o meu pai já ouvia Paralamas, Titãs e esse tipo de música que os pais com bom gosto costumam gostar. Pouco tempo depois meu irmão conheceu a internet, que proporcionou que ele levasse uma semana na internet discada pra baixar uma música do OASIS. Daí pra frente, foi só rock britânico.

Continue lendo ‘Ainda há salvação na música brasileira.’

Não sou um party boy.

Algo vem me incomodando estes dias. Não que isso seja muito difícil, já que as aulas voltaram e eu ainda não readaptei minhas horas de sono, o que faz com que eu tenha só umas 5 horas de sono por dia e acorde com vontade de cortar pintos alheios com a faca da manteiga.

Mas essa coisa vem me incomodando em especial, já que, mesmo quando eu voltar a ter uma quantidade decente de horas de sono, essa coisa continuará me incomodando.

E dessa vez eu não me refiro à voz da minha mãe. A voz dela me incomoda há 15 anos, já estou começando a me acostumar, por mais difícil que isso seja.

Continue lendo ‘Não sou um party boy.’

Hippy!

Há alguns dias eu havia posto na lateral do blog um link que te redirecionava pro Myspace de uma banda chamada “Hippy!”. Eu não tinha explicado ainda o que era, porquê nós só tínhamos uma música. Então, pra quem não sabe, a Banda Hippy! é um projeto que eu e o @iveslamego estamos fazendo pra passar o tempo e dominar o mundo.

É só mais um passo para a nossa dominação global, aguardem.

Nós gravamos sete músicas no quarto do Ives e as lançamos no myspace. Levou mais ou menos três meses pra fazer tudo. Metade das músicas eu que compus, e a outra metade ele. O que está me deixando puto é o fato de que todo mundo prefere as que ele compõe. Falta de sacanagem, viu.

Queremos conseguir um milhão de plays, porquê, pelo que parece, é o necessário pro MySpace dar atenção pra gente. OUVAM lá, amicos.

Para ouvir mais, clique aqui.

Arranquei mais dois sisos. Estou morrendo, não dá pra postar no blog morrendo, ok. Enquanto isso, fiquem com a música que eu e o Tio Ives fizemos. Ainda dominaremos o mercado fonográfico.

Inexorável (Porque eu te amo) – Clique aqui para baixar.

DO DO DO

A verdade nua, crua e musicalizada.

Eu tenho saudade de um tempo em que pra ter uma banda, era necessário anos de dedicação mútua de todos os membros dela. O guitarrista precisava fazer aula de guitarra durante anos, juntar todo o dinheiro do lanche pra comprar uma Fender usada e sem uma das cordas. O baterista, então! Ele precisava passar uns 10 anos batucando na panela velha da tia-avó Josefa e juntando dinheiro pra comprar uma bateria decente. O vocalista… bem, o vocalista era aquela pessoa sem talento que só pegava um pedaço de madeira e berrava pra todos os lados.

Mas com a chegada da inclusão digital, as coisas mudaram um bucado. Não que eu esteja reclamando dela, afinal, de que outro modo nós teríamos isso?

Desde que a primeira bandinha gravou um EP no quintal, o jogou no myspace tal como uma prostituta joga um filho no lixo e fez um considerável sucesso, milhares de adolescentes desocupados e sem o menor talento o imitam.

Continue lendo ‘A verdade nua, crua e musicalizada.’


Atualmente:

Música: Canção da Noite
Banda: Fresno
Livro: Sherlock Holmes
Série:
How I Met Your Mother

Destaques

Um rolê em Madureira: 918 e 919 nunca tiveram uma diferença tão grande na minha vida. Essa diferença somado com a insano desejo do destino de me foder, causou uma peripécia de tremer as cuecas.

Ensino Médio deturpando sonhos:

Apesar do Ensino Médio ser repleto de conhecimentos babacas os quais nunca terão a menor utilidade em nossas vidas, ele pode desmentir algumas informações as quais fizeram você acreditar ser verdade por toda sua vida.

Adão era digno de respeito: Além de não precisar usar cuecas e dar a primeira bimbada da história, Adão ainda não precisa viver momentos constrangedores pelo fato de existir outras pessoas no mundo. Porque falamos tanto de Jesus tendo um herói bíblico desses?



Para ler mais dos textos menos piores do blog, clique aqui.

RSS Twitter

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

Gostou de um texto?

Mande para o Uêba

Ou pro LinkLog

Ou pro Ocioso.

  • 666.751 visitas