Se botar a mulherada na vitrine não vai valer R$1,99.

Ei, mudei de facebook! Assina lá e fique sabendo dos textos novos (tanto aqui do blog, quanto do tumblr, e vez ou outra alguns que eu posto exclusivamente lá).

****

Não sei se isso é uma peculiaridade minha, mas eu fui criado tendo em mente a ideia de que os homens eram os caras escrotos das relações, enquanto as mulheres, em geral, eram as sofredoras. Sempre imaginei que os homens eram aquelas bestas feras que traíam as mulheres, as quais tudo o que faziam era, ou ser ignorante e nem sequer suspeitar de nada, ou aceitar calada.

Envelhecendo, fui descobrindo que as mulheres tinham uma terceira opção – o divórcio. Isso sem contar o envenenamento, mas preferia não calcular as opções que envolviam homicídios. E novamente, na minha cabeça, divórcio era uma coisa absurda e raramente aceita. Devo ter tido, no máximo, dois amigos que tivessem os pais divorciados na infância, e essa realidade era realmente distante pra mim.

Mas eis que eu envelheci ainda mais e guess what – cacete, os divórcios passaram a chegar tão rápido quanto os “eu te amo” saíam da boca de meninas de 13 anos com as coxas molhadas.

“Cacete, o que será que houve com os caras que começaram a trair tanto?”, pensava com meus botões.

Foi aí que os meus primeiros relacionamentos me fizeram abrir os olhos para o que de fato acontecia – há muito que as mulheres é que passavam a perna nos homens. E com uma frequência absurda, aliás. E o pior de tudo é que os caras que mais eram escrotizados, eram os que menos mereciam.

Comecei a pesquisar sobre o assunto tal qual o bom nerd fodido que sou.

Esta é Besta Fera, meu novo cão. Ela e minha mãe são as duas únicas criaturas do sexo feminino que eu confio.

Biologicamente, o ser humano é programado para reproduzir, a fim de constatar a manutenção da espécie. Desta forma, diversas partes do cérebro são responsáveis pela pesquisa constante e ininterrupta sobre procriadores em potencial. Isso explica por que, por exemplo, um cara olha pra bunda de uma mulher na rua instintivamente – a região da bacia volumosa significa que ela suportaria a prole. Um cara de dois metros raramente vai olhar pra uma magrela, por exemplo.

O que acontece é que a participação de um homem na reprodução se resume a uma única noite – o maluco joga os bagulho lá dentro da mina, sobe as calças e sai andando. A mulher não. A participação dela na reprodução se estende por, pelo menos, 1 ano e meio, com os meses de gravidez e os seguintes de criação e amamentação.

Por isso, quando o homem estabelece uma mulher fixa que possa lhe prover a prole, ele geralmente – perceba que eu disse geralmente – se resigna com ela e diminui a procura por bundas alheias, afinal, já encontrou uma mulher capaz o suficiente de lhe prover filhos. Diferente das mulheres – ainda que elas encontrem um homem que lhes dê um bom filho, elas naturalmente sempre procurarão por um homem AINDA melhor na esperança de ter um filho AINDA melhor, afinal, o ventre dela é capaz de provê-lo.

Essa é a explicação biológica. Existem também diversos pormenores, como, por exemplo, o fato de a mulher precisar da existência de um “hormônio da fidelidade”, uma espécie de serotonina que mantém na mente dela que ela não precisa, naquele instante, procurar por pintos grandes. O que ocorre é que em festas e frente a pessoas bonitas, esse hormônio fica enfraquecido frente a outros e aí cabe à consciência da mina.

Só essa explicação ainda não me aprazia. Afinal, porra, se a parada é biológica, por que de uns tempos pra cá ficou tão gritante?

E eis que conheci diversos casos que me provavam que não é de uns tempos pra cá – se colocasse a mulherada na vitrine desde os primórdios, elas não valeriam nem um e noventa e nove.

Noemi Valency

Começarei a exemplificar minha tese com este causo que tenho certeza a maioria não conhece, afinal, nem meus professores de história que, juntos, contém aproximadamente 97% do conhecimento de toda a humanidade, conheciam. Andei lendo diversos livros sobre o Brasil imperial e dois deles citavam a história de Noemi Valency.

Dom Pedro, o primeiro imperador deste nosso Brasil gigante deitado eternamente em berço esplendido – que, aliás, já estava deitado naquela época, me pergunto quando é que ele vai se levantar e conquistar a igualdade com braço forte tão falada – já foi um jovem romântico apaixonado, tal como muitos que vemos por aí.

O que acontece é que, aos 17 anos, Dom Pedro se apaixonou perdidamente por uma francesa que piruzeava na Corte nas sextas è noite. Logo menos o romance tomou rumo, mesmo que Pedro já estivesse acertado com Leopoldina. Há suposições de que eles até se casaram em segredo, mas o que de fato é sabido, é que a mina embuchou do primeiro filho de Don Pedrón, el cafetón.

Assim que souberam, os pais de Pedro, Dom João VI e Carlota Joaquina foram ao encontro da moça, a entupiram de dinheiro, a casaram com um marquês e a mandaram para Pernambuco antes mesmo de Pedro saber.

Vos transcrevo, por fim, o trecho final do livro sobre o assunto:

“Noemi partiu depois de uma breve passagem por sua casa, onde buscou tudo o que tinha de valor. Uns dias depois, quando o navio regressou, houve comentários contraditórios. Alguns disseram que passou as noites gemendo o choro na cama, outros afirmavam que os gemidos não eram de desgosto.”

Apenas soube-se que ela e o marido se davam muito bem já no fim da viagem.

A criança, por outro lado, nasceu morta, e o Pedro, desolado, ordenou que a mumificassem e a manteve na cômoda de seu quarto durante o resto de sua vida, para se lembrar sempre de sua primeira paixão e decepção com as mulheres.

Não me estranha ele ter tido mais de 120 filhos mais tarde.

Ana Bolena

Essa eu imagino que a maioria conheça. Henrique VIII, rei inglês da dinastia Tudor, era casado com Catharina de Aragão, sobrinha do rei Espanhol. O que rola é que Henrique jamais deu muita bola pra Catharina – ele preferia bimbar com as empregadas da corte. A mina favorita dele se chamava Maria Bolena, uma loira bem boazuda (suponho) que batia o pézinho tremendo o bumbum nos bailes funk da corte.

O negócio é que Maria tinha uma irmã – Ana Bolena. Teoricamente, Ana era ainda mais bonita que a irmã, mais inteligente, bem falada e virgem, o que fez com que Henrique se apaixonasse absurdamente por ela. Ana, que queria elevar os Bolena ao trono inglês, dizia que só ia liberar a fechadura quando eles se casassem.

O que rola é que, na época, não dava pra um rei simplesmente pedir divórcio.

E é aí que entra a história do anglicanismo, em que Henrique VIII, doido pra furunfar com a moça, usa isso como motivo para cortar as relações com a igreja e com o clero, assassina os amigos, arruma briga com metade da Europa, cria uma fuckin religião na qual ele é o supremo, obriga todo o povo inglês a aderi-la e tal.

O que se descobriu mais tarde, no entanto, é que Ana Bolena não era virgem. A moça tinha tido um namorado antes de Henrique VIII que provavelmente visitou a taverna úmida dos sonhos muito antes e muitas vezes.

E vos pergunto – sabem como Ana Bolena morreu?

Ela foi assassinada a mando do próprio Henrique VIII, pois começaram a rolar boatos na corte de que ela o traía com diversos homens. Ainda que alguns historiadores discordem que Ana tenha realmente o traído, há de se convir que não se pode levar muito a sério uma mina que se aproveita de um rei, fazendo-o assassinar os amigos, a mulher, excluir a filha de sua vida e arrumar treta com metade da Europa só pra subir na vida.

Capitu

Acho desnecessário fazer outro texto explicando por que eu acho a Capitu uma safada, não?

“Capitu, tu me traíste!” “Ok, Bentinho, não vou discutir contigo” “Mas, mas…” “Ok, ó, vou ali na igreja, quando eu voltar a gente se separa, blz? Fmz então, abs é nóix”

Carlota Joaquina

Não bastando a amada, Dom Pedro ainda teve uma mãe que transformou D. João VI em um alce. Carlota Joaquina era conhecida, tanto na Europa quanto nas Américas, pelos diversos romances extraconjugais que tinha em tudo quanto é canto – a mulher até engatou um romance com o comandante da marinha britânica durante a transmigração real.

Como D. João VI era gordo, desleixado e tinha um ódio inenarrável a banhos, não é de se estranhar que a moça não quisesse furunfar com ele. O que acontece é que a mulher furunfava demais.

Até Leopoldina, a nora dela, já escrevera aos familiares na Áustria sobre ela: “Sua conduta é vergonhosa, e desgraçadamente já se percebem as consequências tristes nas suas filhas mais novas, que têm uma educação péssima e sabem aos dez anos tanto como as outras que são casadas”.

D. João, no entanto, era conhecido por ficar solitário em seu quarto, e até mesmo temia-se por sua extrema solidão.

Acho absurdo o caso em que Carlota, sabendo que um de seus amantes ia se casar, manda assassiná-lo junto com a mulher. Doidera essa história do Brasil, rapaziada. Doidera.

Agora os senhores podem estar pensando “mas poxa, Aumeida, você só ta falando de casos antigos. Isso é coisa do passado, coisa de história e tal, hoje em dia é tudo mais light mas daora mais real”, e então, seus sonsos, vos apresento o caso em que a Rainha do universo traiu o nosso querido e amado Vampiro Brilhante no início desse ano.

Kristen Stewart

Esta crápula sem coração. Não contente em trair o pobre Robert Pattinson nos filmes que encenam juntos – traí-lo com um cachorro ainda -, a mulher ainda foi pega dando uns amassos no diretor do filme que ela tava protagonizando.

Edward Cullen, nosso vampiro favorito e ídolo heterossexual de toda uma geração afeminada, que vinha dando diversas entrevistas sobre como a amava e como ela era perfeita pra ele, havia lhe dado um apartamento, diversas jóias e coisital, ainda a aceitou de volta meses depois.

A situação deixou tão eminente que a mulher não passa de uma vagabunda, que as fãs não conseguiram apenas se resignar com suas expectativas destruídas – elas simplesmente dizem que foi tudo mentira. “Mas não faz o menor sentido dizer que é mentira, tem fotos, e eles admitiram e e e…”, você deve estar pensando. Sim, não faz. Mas elas são fãs de Crepúsculo, o que vocês esperavam?

Este caso é emblemático.

A mulherada não ta querendo nada, nem nunca quis, com fidelidade. Ainda que vez ou outra existam umas Madame Bovary por aí, ainda acredito que a grande parte desses seres sem coração sejam apenas 500 Days of Summer enrustidas. Os causos que eu mesmo presenciei e até mesmo os que eu vivi deixam isso claro. Poderia citar outras centenas aqui além desses 4 acima, mas seria inútil – aqueles que não quiserem acreditar, jamais o farão.

A cada dia me vejo mais decepcionado com a humanidade, e de uns tempos pra cá me vejo decepcionado com um gênero inteiro. Ainda que existam diversas excessões, moças direitas e fiéis, as vejo como uma minoria quase irrisória. Procuro por estas, mas se escondem muito bem.

Não está longe o dia que me trancarei no meu quarto e não mais sairei. Pelo menos assim ninguém destruirá minhas ilusões criadas na infância de que o mundo não é um lugar tão escroto.

Anúncios

32 Responses to “Se botar a mulherada na vitrine não vai valer R$1,99.”


  1. 1 Sarah 28/11/2012 às 11:56 pm

    Tens razão em alguns aspectos, generalizar nunca é bom, mas a questão é que se a mulher ama, ela ama de verdade e não trai, um dia você encontra a sua Dama, que vai te amar e cuidar de ti como você merece, porque na verdade nós também buscamos aquele que vai nos amar e cuidar de nós, e você tem esse potencial rs.

  2. 2 Brisa 29/11/2012 às 12:01 am

    HAHAHHAHAHAH, ai Guilherme, então seremos dois trancados no quarto, porque o que falta para as mulheres alcançar os homens nesse quesito…. tem que ser escrota MEEEEEEESMO se não vocês passam por cima!

  3. 3 Maari_xx 29/11/2012 às 12:10 am

    Foda é ver um texto desses e ter que concordar.Mas, como você disse, há exceções. Mas também tem muito homem por ai que não presta. No geral, pessoas não prestam mais.
    Parabéns Meids, texto foda (como de costume).

  4. 4 Y. 29/11/2012 às 12:23 am

    Sou da seguinte opinião: Abusou da minha boa vontade de qualquer maneira, não espere respeito (e fidelidade) de mim. Aqueles reis cheios de concumbinas, cê acha que eu não ia garantir o meu se fosse rainha?

    E, Almeida, acho que meninas que valhem a pena passam por você o tempo todo. Você não nota porque elas não são o que cê tá esperando.

  5. 5 Nara 29/11/2012 às 12:31 am

    Parabéns pelo texto, Almeida. Realmente, as mulheres estão decepcionantes, bem como os homens. É complicado encontrar a pessoa certa nesse caos mundano de hoje.
    E acrescentando: como personagem histórica, temos a Maria da Hortaliça também, do Memórias de um Sargento de Milícias.

  6. 6 suzana 29/11/2012 às 12:31 am

    há casos e acasos:a verdade é que ninguém mais presta.

  7. 7 Hellen 29/11/2012 às 12:35 am

    Me lembrou esse post no tumblr:

    the actual moral of 500 Days of Summer: you shouldn’t use the fact that you think you’re a nice guy as an excuse to project your fantasies onto women who don’t return your feelings. If she says she doesn’t want a relationship, then listen and accept this.
    what most dudes take from 500 Days of Summer: any woman who doesn’t want to date me is a bitch. It’s a fact; they even made a movie about it.

    ^^

  8. 8 Lally 29/11/2012 às 12:49 am

    Enquanto crescia eu ouvia essa mesma história que homens são filhos da puta e mulheres são vítimas etc. Minha mãe me ensinou que antes de deixar um homem me machucar eu devo cortar a parte que garante que ele é um macho e comê-la frita no jantar, e aposto que a maioria das mães fala a mesma coisa para suas filhas. Claro que a possibilidade de que alguém vá machucá-la não justifica o fato da garota ser uma meretriz, mas é da raça humana que estamos falando.
    Acho que a quantidade de mulheres que não valem 1,99 seja igual a quantidade de homens que nem isso valem e mesmo que eles se mereçam, quem acaba se sentido atraído por eles são os homens e mulheres legais, é sempre assim.
    Pode me chamar de romântica e sonhadora, mas acredito que todos os seres da classe realmente legal acabam se encontrando e o contato com a classe escrota não passara de uma lembrança (realmente dolorosa).
    Ótimo post.

  9. 9 Gabriela 29/11/2012 às 12:53 am

    Ótimo texto Almeida, mesmo generalizando um pouco acho que tudo que tu falou é verdade, ainda mais com algumas mulheres que acham que dar pra todo mundo é ser “feminista”.
    Ah, e na tua lista podia entrar Valeria Messalina, outra adúltera (ao extremo) da Roma antiga.

  10. 10 Bele Albuquerque 29/11/2012 às 1:01 am

    Gostei bastante desse seu texto e apesar de ser mulher, concordo com o fato de que há muitas mulheres que a muito tempo não vem mantendo uma boa conduta (apesar de que Capitu, sim ela é safada, mas ela , no meu ponto de vista, não traiu) porém em todos os exemplos citados os homens não mantiveram uma conduta exemplar! No fundo somos “todos ” movidos pelo instinto e o mundo é movido pela safadeza (de todos os gêneros).

    Bjos, @belealbuquerque

  11. 11 Mariana 29/11/2012 às 1:01 am

    “Ainda que existam diversas excessões, moças direitas e fiéis, as vejo como uma minoria quase irrisória. Procuro por estas, mas se escondem muito bem.” Ô Almeida, que história é essa de esconder? Tô aqui bem visível, só vir pra Niterói!

  12. 12 Brüno Warz 29/11/2012 às 6:32 am

    Isso me cheira a Nerd que levou altos foras e agora ta revoltadinho com o mundo.

  13. 13 Bruna Almeida 29/11/2012 às 8:38 am

    seu melhor texto, sem mais a comentar.

  14. 14 Gabi 29/11/2012 às 3:28 pm

    Mas Henrique traiu CAtharina com Ana Bolena, e ela é a vadia da história?

    E Dom Pedro tbm era casado…

    Sendo arranjado ou não, era casamento.

  15. 15 Clara 29/11/2012 às 7:33 pm

    Garanto que grande parte das mulheres tem a mesma opinião sobre os homens. O fato é que o ser humano, independente do gênero, está propício à traição. No caso de Ana Bolena, por exemplo, Henrique XVIII vivia levantando as sainhas alheias da corte, Bolena foi apenas uma delas. Ser um babaca foi coisa do próprio rei. E é bom lembrar que, no caso, sua esposa e filha foram vítimas, ambas mulheres. Nem toda mulher é uma vadia, assim como nem todo homem é um babaca, mas, infelizmente, grande parte é e, apenas porque suas experiências foram ruins, não quer dizer que você deva odiar todas as mulheres da maneira como muitas mulheres desiludidas odeiam os homens em geral e são frequentemente criticadas por fazer tão generalização. Talvez você esteja saindo com as garotas erradas, sabe.

  16. 16 Clara 29/11/2012 às 7:35 pm

    *tal generalização

  17. 17 Renata 29/11/2012 às 7:44 pm

    Agora vamos contar os casos de traição e filha da putagem masculina também? rs

  18. 18 almeida 29/11/2012 às 10:19 pm

    Uma vez que o casamento não tinha sentimento, não se enquadra no que quero dizer no texto. Ambos eram casados apenas por obrigação. Diferente do romance com as mulheres do texto, nos quais havia sentimentos – da parte deles, lógico.

  19. 19 Nicole 29/11/2012 às 11:53 pm

    Homens e mulheres tem a perfeita capacidade de serem filhos da puta quando querem.
    Entendo seu ponto de vista, ok. Mas traição pra mim é um troço imperdoável, sei lá. talvez eu faça parte da exceção.
    de qualquer modo, todo mundo tem seu lado filho da puta e cabe à cada um o próprio bom senso pra saber pesar suas decisões e saber das consequencias de seus atos.

  20. 20 Isa 30/11/2012 às 12:16 am

    Meids! Se assuma logo homossexual hauhsuahsuhaus. Brincadeira ❤

  21. 21 Isa 30/11/2012 às 12:20 am

    ps: o nome daquela coisinha extremamente fofa é mesmo Besta Fera?? haha *-*

  22. 23 raquel 01/12/2012 às 1:52 am

    esse texto seu foi o que menos gostei até agora, vc pegou alguns exemplos e deu uma generalizada cabuloza, eu sei que no final vc falou que existem mulheres que não são assim, mas os homens também não são mundialmente conhecidos por serem cafajestes que só mudam o endereço por nenhum motivo..

    a natureza humana é igual perante os homens e as mulheres, tanto os machos quanto as fêmeas traem e são traídos e ninguém nessa historia passa sem culpa, agora as mulheres traem bem menos do que os homens porque por mais que lutemos a nossa sociedade ainda é extremamente machista, o que faz das mulheres não tão traidoras quanto os homens..

    e a summer do filme foi sincera em praticamente todos os motivos em que esteve com ele, ela não o traiu, não deu falsas esperanças, não mentiu, ele que idealizou e interpretou tudo a sua maneira sem levar em consideração a personalidade diferente que a summer possuia, 500 dias com summer não é um filme que fala de traição é um filme que fala de falsas expectativas

  23. 24 Letícia 02/12/2012 às 10:52 pm

    ‘Mas eu presto!’ Haha concordo com você, mas os homens nao são santinhos tambem! É meio machista o que vou dizer, mas acredito muito nisso: muitos homens são infiéis, sem vergonha pq o número de mulheres fáceis é muito grande. Se a oferta de procriação nao fosse tão grande, eles valorizariam muito mais as mulheres. Tudo culpa das piriguetes rs
    Mais uma vez, parabéns pelo texto. Quero ser como você quando crescer haha
    Ah, espero que tenha ido bem nos vestibulares da vida, to nessa fase tambem e sei como é a pressão. Sucesso!

  24. 25 Thereza F. 03/12/2012 às 1:50 am

    Bem, eu não acho que Ana Bolena tenha sido apenas uma periguete qualquer. Pra chegar a posição em que chegou, usou a única arma que a mulher dispunha na época – o sexo – e caiu exatamente por isso (afinal, um homem que tem seis esposas e três filhos, tem coisa errada aí. Henrique era gordo, tinha uma ferida que simplesmente não curava e cheirava a latrina. Imaginem que beleza <3). Em minha opinião, Ana, apesar de ser ainda uma criança, era muito inteligente, e percebeu que poderia alcançar uma posição absurdamente alta. A falta de herdeiros e seu gênio levaram a instabilidade do casamento, já que Henrique sentia necessidade de um herdeiro do sexo masculino pra firmar a dinastia Tudor, e Ana não aceitava o papel de esposa submissa.
    Enfim, Henrique quase foi excomungado, perdeu aliados, matou amigos. E tudo isso por causa de uma mulher. E para que isso tudo acontecesse, devia ter sido uma mulher especial.
    E digo mais, para mim, ele passou o resto da vida procurando outra Ana nas outras quatro esposas. É.
    (Fim do testamento)

  25. 26 Julia 04/12/2012 às 2:03 am

    Apenas acho idiota falar de relacionamentos sem levar em consideração o sentimento. Eu não acredito que exista um sexo mais filha da puta que o outro. As relações estão sim muito mais banais mas isso não ocorre apenas pelo lado das mulheres e nem dos homens. Achei legal você dar esses exemplos, mas não levou em conta como as mulheres eram vistas como inferiores e infelizmente, por muitos, ainda são.

  26. 27 Pingu 07/12/2012 às 6:46 pm

    Na boa, vocês estão iludidos pra caralho, meninos e meninas. Vocês querem tanto encontrar um Brad Pitt ou uma Angelina Jolie, que tudo abaixo desse patamar é lixo. Tem gente pra casar por aí de sobra, abram os olhos.

  27. 28 A. 15/12/2012 às 12:29 am

    Não é questão de ser homem ou mulher. É questão de ter caráter ou não. Basta você ser mais seletivo e não sair se engraçando com qualquer uma(zinha) que aparece.

  28. 29 Vic 19/12/2012 às 11:43 pm

    eu trairia meu namorado contigo (se eu tivesse um)
    mentira, não trairia não.

  29. 30 Anônimo 14/04/2013 às 5:29 pm

    Hi Dear, are you in fact visiting this site on a regular basis, if so afterward
    you will absolutely obtain good knowledge.

  30. 31 Alfredo 25/04/2013 às 1:24 am

    Hi there I am so delighted I found your site, I really found you by accident, while I was
    browsing on Askjeeve for something else, Anyways I am
    here now and would just like to say thanks a
    lot for a incredible post and a all round enjoyable blog (I also love the theme/design), I don’t have time to
    read through it all at the moment but I have book-marked it and also
    added in your RSS feeds, so when I have time I will be back to read more, Please
    do keep up the fantastic jo.

  31. 32 gabi 17/06/2013 às 5:19 pm

    Poderia até não concordar, mas estou rindo até agora!

    Assinado: fã da Carlota Joaquina! kkkk


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Atualmente:

Música: Canção da Noite
Banda: Fresno
Livro: Sherlock Holmes
Série:
How I Met Your Mother

Destaques

Um rolê em Madureira: 918 e 919 nunca tiveram uma diferença tão grande na minha vida. Essa diferença somado com a insano desejo do destino de me foder, causou uma peripécia de tremer as cuecas.

Ensino Médio deturpando sonhos:

Apesar do Ensino Médio ser repleto de conhecimentos babacas os quais nunca terão a menor utilidade em nossas vidas, ele pode desmentir algumas informações as quais fizeram você acreditar ser verdade por toda sua vida.

Adão era digno de respeito: Além de não precisar usar cuecas e dar a primeira bimbada da história, Adão ainda não precisa viver momentos constrangedores pelo fato de existir outras pessoas no mundo. Porque falamos tanto de Jesus tendo um herói bíblico desses?



Para ler mais dos textos menos piores do blog, clique aqui.

RSS Twitter

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

Gostou de um texto?

Mande para o Uêba

Ou pro LinkLog

Ou pro Ocioso.

  • 655,257 visitas

%d blogueiros gostam disto: