Não mexe na porra da pulseirinha!

Decidi fazer um revival aqui do blog só pra contar uma anedota que se sucedeu lá nos idos de 2010, mas que eu me restringi de contá-la por envolver diretamente uma leitora assídua aqui de nossa casinha. Ainda há grandes chances dela ler o blog, ler este texto e ficar irremediavelmente puta. Mas é como dizem os grandes filósofos da era de aquarius – que se foda.

Pois bem, vamos aos flatos.

Minha memória de ameba me impede de ser preciso quanto à data, mas o ocorrido foi em 2010 ou 2011. Uma moça dona de Fã Clubes meu era aqui dessas bandas do Rio e queria se encontrar comigo.

Não sou lá um cara muito pegador, mas os senhores bem sabem que recusar uma moça que está facilmente a sua disposição e é realmente gata é o mesmo que assinar um atestado de chupador de pintos. Eu, como representante fiel de Barney Stinson, jamais negaria uma boquinha de porcelana se esforçando ao máximo para trocar germes salivares comigo pelo simples fato de eu ser eu.

O flato que problematiza essa história é – essa não era uma dessas minas.

Quer dizer, em partes. Ela até se esforçava pra ficar comigo, me chamava pra sair seguidas vezes, mandava indiretas e já praticamente considerava como certo que teria minha língua em sua boca mais hora ou menos hora. Mas, me entenda, a mina era o mapa do inferno.

Gosto de pensar que existe uma tabela que quantifica a aparência das pessoas em níveis de beleza ou feiúra. A mina já havia ultrapassado os níveis “feinha ajeitada”, “feia”, “pegável apenas sob altas concentrações de álcool” e até o nível máster – “pegável em coma alcoólico”. Veja se vocês tão me entendendo – a moça era uma situação tão lastimável que se ela tentasse abusar de mim enquanto eu estivesse em coma, eu acordaria na mesma hora apenas pra sair correndo.

Agora que já forneci um panorama da moça envolvida, contarei a fodelança.

Após diversas vezes dar desculpas pra menina pra não encontrá-la, acabei cedendo. Fiquei com pena. Ela já era baranguinha, não precisava ser renegada também. Marcamos de ir num shopping aqui por perto num fim de semana qualquer. Para deixar bem claro que não rolaria nenhum contanto entre nossas bocas, fiz questão de confirmar a presença lá de meu parceiro de aventuras, Ivolino (ele provavelmente não se lembra dessa história, mas quem se fode jamais esquece). Acontece que, assim que confirme ia presença de Tio Ives, a moça retrucou com um “ok, então eu levo uma amiga também!”.

Essa frase deixou bem clara a vontade da moça de engravidar de mim naquela tarde nublada de 2010. Ou 2011. Sei lá.

Respondo com um discreto “não precisa!”, mas ela insistiu. Não sou um cara tão sutil a ponto de continuar o diálogo sem acabar explicitando que ela era feia pra caralho e que nem se um milhão de pintos estivessem apontados pra mim eu ficaria com ela. Apenas a ignorei até o dia.

Acho que vale a pena deixar claro que eu não sou um machista feladaputa que só quer pegar projetos de panicats em baladas. Mas eu tenho o mínimo de bom senso e amor próprio. Não rola ficar com uma mina que eu sinto dor nos olhos por ficar encarando muito tempo. E ela nem era tão legal assim.

E eis que chega o dia.

Eu e Ivolino nos encontramos e aguardamos pelas moças, que, seguindo a cartilha de todas as mulheres do universo, se atrasaram. Não apenas se atrasaram, como se atrasaram pra caralho. Quando chegaram, nos encontramos – ela era ainda mais embarangada ao vivo, e a amiga dela era do mesmo nível. Mantive a pose de milady, conversei e fui super simpático com elas a maior parte do tempo – excetuando aqueles momentos em que eu me vejo na necessidade de ser escroto só pra não perder a prática.

E eis que a moça certa hora diz “meu pai ta aqui no shopping com a namorada e ta nos chamando pra comer um lanche, vamos!”.

Brous. Existem poucas coisas no mundo mais constrangedoras do que pegar o elevador com um vizinho enquanto ouve música no mp3 e, quando o vizinho sai do elevador, você percebe que estava ouvindo Restart e que dava pra ele ouvir tudo. Aquela situação era uma dessas.

Encontramos o cara – era um quarentão careca e tatuado. Nada demais, até que ele apresenta a namorada: uma mina de 18 anos! 18 fodendo anos! Aquele semblante único e singelo de vagabunda, aquela camisa comprada na Citycol com o umbigo aparecendo, aquele cabelo preto alisado com cuspe de boi e aquele shortinho curto mostrando as coxas furadas pro mundo.

E ele insistia em nos pagar um lanche!

Cacete, vejam a situação – eu tava recebendo um lanche de um quarentão que namorava um recipiente de dst’s e era pai de uma mina que espalhava aos quatro cantos que ficaria comigo.

Disse que ia no banheiro e pulei fora do negócio o mais rápido possível. Tio Ives me acompanhou de pronto, uma vez que Tio Ives não é burro nem nada.

Eis que uns 30 minutos mais tarde a moça notou que eu estava demorando um tanto quanto demais no banheiro e me ligou. Avisei que eu e Ivolino havíamos encontrado conhecidos no caminho e nos distraímos. A moça perguntou onde estávamos e foi nos encontrar instantes depois.

E aí é que essa história deixa de ser apenas uma história de “Ah, apenas uma fodelança comum” pra “Ok, isso sim é uma fodelança digna do Almeida”.

O Tio Ives REALMENTE encontra uma conhecida na porra do shopping! E a amiga da mina baranga vai embora! E o Ives é um filho da puta que vai embora com a conhecida!

Em menos de 15 minutos eu e a menina estávamos sozinhos, num canto isolado do shopping, olhando pra cara um do outro com expressão de bunda sem cu. Eu rezando para aquilo acabar logo, ela rezando praquilo não acabar nem tão cedo.

Não sei se cês tão lembrados, mas em 2010 rolava uma modinha escrota de pulseirinhas do sexo. Cês tão lembrados dessa merda?

Essa porra aí.

Imagino que cês já conseguem supor o que acontece em seguida.

Percebendo que a mina me encarava fixamente, eu fugia o olhar dela. E então ela resolveu tomar uma atitude –arrebentou minhas pulseirinhas. Pulseirinhas estas que eu havia ganhado num meeting em São Paulo das leitoras mais lindas que este blog já teve.

Além da mina ser chumbada, ter me constrangido a tarde inteira e estar se jogando pra mim há séculos, ela ainda arrebentou minhas pulseirinhas que tinham um valor sentimental do cacete!

Minhas lindas pulseirinhas!

Após arrebentá-las, ela ficou me encarando com aquele biquinho de vem cá, meu nego, e eu a encarei por alguns segundos antes de gritar “cacete, qual o teu problema????”.

Nunca vi uma expressão mudar tão rapidamente. Acho que nesse instante ela se tocou que na minha boca só transitava salivas cuidadosamente selecionadas e o vexame que ela tava passando. Ficou vermelha feito sangue de menstruação, pediu um milhão de desculpas e disse “toma aqui, ó, eu também tenho essas pulseirinhas, eu te dou as minhas!”.

“Eu quero mesmo! Me dá essa amarela aí. Anda! Eu tenho que ir embora”.

Como eu disse, eu preciso ser escroto de vez em quando.

A mina nunca mais falou comigo. E veja que fã fiel – ela excluiu o fã clube e parou de me seguir no twitter. Isso que é amor de fã!

Me arrependo de ter gastado uma tarde inteira com aquela moça, mas pelo menos ganhei um lanchinho de grátis do pai dela. E no fim das contas o Tio Ives ainda deu umas osculada com a moça lá que ele conhecia.

Até o Tio Ives se dá bem nessa porra dessa vida e eu colecionando pulseirinha.

Anúncios

23 Responses to “Não mexe na porra da pulseirinha!”


  1. 1 Ananda 15/09/2012 às 3:37 am

    já estava ficando com saudade desses seus posts

  2. 2 isabela 15/09/2012 às 3:39 am

    SD,S;DSADSKL;SKAD;DKSA;DKL pqppppppppp digna dos velhos tempos

  3. 3 Rapha 15/09/2012 às 3:40 am

    Ri demais! Almeida e seu jeito próprio de contar casos de sua vida. ;p

  4. 4 carol 15/09/2012 às 3:45 am

    duas palavras: que merda OWEIOWIEOWIEOWEIOEWIEOIEWO

  5. 5 Juliana 15/09/2012 às 3:57 am

    mas que vida fodida tchê. to rindo, mas rindo demais.

  6. 6 Gabriela Freitas 15/09/2012 às 4:18 am

    muito engraçado almeida uahsd09uhasd9uhasdiuahds90hd9
    tava com saudades desses teus posts

  7. 7 Mariane 15/09/2012 às 3:30 pm

    “Vamos aos flatos”.

  8. 8 Raquel 15/09/2012 às 4:38 pm

    No final a culpa é da minha que não consegue perceber os sinais, kkkkkkkk
    Enfim ri muito aqui do pai e da namorada dele

  9. 9 Raquel 15/09/2012 às 4:39 pm

    Mina*

  10. 10 vane 15/09/2012 às 11:17 pm

    Se foder estilo: Almeida. OPKSPAOKSKpasok chorei de rir. Deu até dó d… NÃAAO, não deu só coisa nenhuma, ela mereceu. Tava com saudades dos seus posts já, faz favor de atualizar mais frequentemente, nem que seja para contar-nos o que você comeu no café da manhã ou descrever um livro/filme. Você faz falta. E ser escroto de vez em quando é o que mantém o mundo girando. Ou não, mas foda-se.

  11. 11 Mariana Cunha 16/09/2012 às 12:18 am

    cadê o meu ar!!!!

  12. 12 Gustavo 16/09/2012 às 1:42 am

    Ótimo. Adorei, muito engraçado!

  13. 13 Thereza F. 16/09/2012 às 2:06 am

    Se foder lvl Almeida é pra poucos 😛

  14. 14 Yanna 16/09/2012 às 2:07 am

    Conheço bem a satisfação que dá finalmente explodir e gritar na cara de quem fica se jogando pra cima de você: é de equilibrar os chakras. Mas eu fiquei me perguntando… por que você simplesmente não disse que não queria ficar com ela? Humilhar a pessoa é só em último caso, quando você diz não e ela finge que não ouviu. Coitada da menina, ela era sua fã, e você nunca disse não. ):

    Mudando de assunto, essas pulserinhas do sexo eram um perigo. o.O Ainda mais porque eu era uma menininha inocente na época em que elas foram moda, usava um monte e não sabia pra que serviam. Quando me contaram, parei de usar e doei pra gente mais “extrovertida” que eu. 😀

  15. 15 anony 16/09/2012 às 2:11 am

    xesus meids, como vc é fodido jisjdihsids

  16. 16 Almeida 16/09/2012 às 2:27 am

    Eu disse! Direta a indiretamente, diversas vezes.

  17. 17 Bruna Almeida 17/09/2012 às 12:51 am

    SDDS DOS POSTSSSSSS

  18. 18 Larissa 24/09/2012 às 3:04 am

    Coragem é saber do nível de feiura da menina e ir no encontro assim mesmo… E eu, que estou num dia de muita melancolia e rara bondade, fico imaginando a auto estima da baranga, digo, da menina… tadinha gente haushaushasa

  19. 19 UNCLE IVES 27/09/2012 às 12:11 pm

    PUTA MERDA!!! KKK E tem como esquecer dessa história? Essa é épica e tem o selo Almeives histórias de qualidade. Me lembro das nossas caras de “CARA, vamos fugir daqui”, e também não esqueço que no início o senhor achava ela até bonitinha. Lembro-me bem de você todo animadinho me mandando uma foto dela com a camisa do fluminense…

  20. 20 Thereza F. 28/09/2012 às 5:28 pm

    Ives entregando o Meids -qq

  21. 21 Vinícius Nesi 01/10/2012 às 12:02 am

    ”Brous. Existem poucas coisas no mundo mais constrangedoras do que pegar o elevador com um vizinho enquanto ouve música no mp3 e, quando o vizinho sai do elevador, você percebe que estava ouvindo Restart e que dava pra ele ouvir tudo. Aquela situação era uma dessas.”
    HAHAAHAAAHAHAHAHAHAHAHA ótimo post, torço pra q volte a postar com frequência

  22. 22 almeida 02/10/2012 às 5:08 pm

    PELA INTERNET TODO MUNDO É BONITO.

  23. 23 Mariana Borges 07/10/2012 às 5:06 pm

    Acabei de descobrir seu blog, e gostei. :}
    kd mais post


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Atualmente:

Música: Canção da Noite
Banda: Fresno
Livro: Sherlock Holmes
Série:
How I Met Your Mother

Destaques

Um rolê em Madureira: 918 e 919 nunca tiveram uma diferença tão grande na minha vida. Essa diferença somado com a insano desejo do destino de me foder, causou uma peripécia de tremer as cuecas.

Ensino Médio deturpando sonhos:

Apesar do Ensino Médio ser repleto de conhecimentos babacas os quais nunca terão a menor utilidade em nossas vidas, ele pode desmentir algumas informações as quais fizeram você acreditar ser verdade por toda sua vida.

Adão era digno de respeito: Além de não precisar usar cuecas e dar a primeira bimbada da história, Adão ainda não precisa viver momentos constrangedores pelo fato de existir outras pessoas no mundo. Porque falamos tanto de Jesus tendo um herói bíblico desses?



Para ler mais dos textos menos piores do blog, clique aqui.

RSS Twitter

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

Gostou de um texto?

Mande para o Uêba

Ou pro LinkLog

Ou pro Ocioso.

  • 654,578 visitas

%d blogueiros gostam disto: