Resenha: Livros de Dexter

Dexter sempre alimentou muita expectativa em mim. Seja por que meu pai não me deixava ver a série por ser muito “violenta para uma criança”, e eu tive que esperar um ano e meio pra começar a assisti-la sem que ele soubesse, ou seja por que tem os melhores season finales desde Skins. O que importa é que Dexter é uma grandissíssima série e isso já era mais do que suficiente para que eu quisesse ler o livro que, afinal de contas, inspirou o personagem principal.

Dexter – A Mão Esquerda de Deus
Autor:
Jeff Lindsay
Ano:
2008
Editoria:
Planeta

Enredo: É o mesmo da primeira temporada – um serial killer, de alcunha Ice Truck Killer, sequestra prostitutas e as corta em vários pedaços, expondo os corpos em locais públicos sem uma gota sequer de sangue. O enredo se passa na polícia de Miami tentando prender o Ice Truck Killer enquanto o Dexter mantém contato com ele sem que mais ninguém saiba.

O que eu achei: Um livro que tem uma faca ensanguentada na capa escrito “a mão esquerda de Deus” não pode ser ruim. Tá, até pode, mas não é o caso desse. O primeiro livro é o único que tem a mesma história da série (exceto o final).  É realmente bom, uma vez que a história é criativa, elaborada e bem abordada, o que não se repete em alguns dos livros que o sucedem.

Qualquer um que se diga fã da série tem quase que obrigação de ler este livro. Não só por ser realmente bom, como por ser pequeno, de leitura rápida, ter um desfecho diferente do da série e ser bem barato.

Vale a pena comprar?

Esse vale. Não é mais do que 30 reais, vende-se em praticamente todas as lojas de livros que já fui até hoje, e é realmente rápido de ler, além de bem interessante do início ao fim.

Querido e Devotado Dexter

Autor: Jeff Lindsay
Ano:
2009
Editoria:
Planeta

Enredo: Um serial killer está sequestrando pessoas, cortando-as em pedaços (a ponto de só restar o tronco e o rosto) e se livrando dos restos em locais em que a polícia obtém acesso facilmente. Quando um dos detetives da polícia de Miami vira sua vítima, Dexter se aprofunda no caso.

O que eu achei: Apesar de a história diferir da segunda temporada da série, é muito boa. Talvez até melhor que a da série nesse ano, mas não sei se ficaria tão boa em uma adaptação. Duas coisas são muito boas nesse serial killer – ele faz uma coisa que todos nós já fizemos com algum boneco na infância, que é destroçar o bicho a ponto de só restar o tronco e a cabeça. A diferença é que até a cabeça ele destroça, tirando também a língua e as pálpebras. Isso é lindo.

A segunda é que a história revive a rivalidade Doakes e Dexter, e como eu odeio o Doakes, adoro o fato dele ser derrotado de novo.

Vale a pena comprar?

A mesma coisa do primeiro.

Dexter no Escuro
Autor: Jeff Lindsay
Ano:
2010
Editoria:
Planeta

Enredo: Dexter acaba pedindo Rita em casamento sem querer. E ela aceita, querendo. Por algum motivo, isso faz com que o Passageiro Sombio de Dexter suma. Isso não é o suficiente para que o ímpeto dele de matar diminua, mas é o suficiente para que ele faça isso de modo bem mais descuidado. Ao mesmo tempo, mais um assassino(meu Deus, essa Miami tem um assassino diferente por ano) está a solta.

O que eu achei: Meu Deus, que livro horrível. De longe o pior da série. A história é tão fraca que Dexter passa, no mínimo, 200 páginas refletindo o quão inútil ele é sem o passageiro. E o assassino é tão sem graça que nem o instiga a querer investigá-lo. Dexter simplesmente sente uma vontade inexplicável de matar o cara e não sabe como fazê-lo, então fica em um conflito interno completamente desinteressante.

E, como se não pudesse piorar, piora. O desfecho é ridículo. É tão ridículo que o direi agora e você nem se importará, uma vez que também o achará ridículo e se recusará a comprar esse livro – Dexter está saindo na rua, calmamente, pensando se passa ou não na padaria pra comprar um lanchinho, e o assassino vai até ele e o sequestra. Depois, num local desconhecido e distante, Dexter acorda e mata o cara.

Fim.

Não tem nenhuma investigação, nada. São 250 páginas de conflitos pessoais de Dexter e 20 páginas o descrevendo enquanto acorda, sai do quarto em que se encontra e matao assassino. Ridículo. No fim do livro, também sem explicação, o Passageiro volta.

Vale a pena comprar?

Amigo, dê esses 30 reais para uma criança com câncer, ou para um mendigo, ou praquele teu irmão insuportável, ou sei lá, só não o gaste com esse livro. Aliás, compre o livro (a capa é bem bonita), mas não o leia. Deixe seu irmão insuportável fazer desenhos nas páginas, contanto que não amasse a capa.

Dexter: Design de um Assassino

Autor: Jeff Lindsay
Ano:
2011
Editoria:
Planeta

Enredo: Dexter está recém-casado quando uma série de corpos começa a ser encontrada em locais não convencionais, todos com o tronco aberto e decorações em seu interior. Enquanto interroga um suspeito, Deborah é esfaqueada e Dexter fica atordoado tentando encontrar o culpado para se vingar.

O que eu achei: Ó. Esse é marromenos. É infinitamente melhor que o terceiro, mas não chega aos pés do segundo e do primeiro. A trama ganha emoção próximo ao final, tipo na página 200, mas até chegar lá é meio  monótona. O Jeff Lindsay deve ter visto o quão lucrativo é lançar esses livros que começou a escrevê-los de qualquer jeito, só pra ter material para lançar todo ano. A história poderia ser mais desenvolvida e melhor abordada. A trama tem o mesmo defeito do terceiro livro – Dexter fala sozinho quase que o livro inteiro, é repetitivo e não é bem escrito.

A escrita de Jeff vai piorando com o passar dos livros. Enquanto no primeiro ele era um bom escritor, nesse ele parece um adolescente escrevendo uma fanfic. Claro, a história é bem bolada, mas caso não tivesse o nome Dexter na capa, não chegaria nem perto de ser um bestseller.

Vale a pena comprar?

Até vale, mas só se você não tiver nada melhor pra ler. Não trate este livro como prioridade, mas como opção. E também não o leia na rua, se não terá de aturar piadinhas como “haha, tá querendo ser um assassino, cara? haha” e velhinhas te encarando intrigadas.

Anúncios

14 Responses to “Resenha: Livros de Dexter”


  1. 1 Bruna A. 10/12/2011 às 9:31 pm

    Dexter é uma das minhas séries de livros preferida, parabéns Almeida, já pode trabalhar de critico de livros o/

  2. 2 Lucca 10/12/2011 às 10:20 pm

    Nunca ouvi falar nesse livros , mais vou comprar.

  3. 3 Thiago Oliveira 10/12/2011 às 10:48 pm

    Excelente resenha. Muito bem escrita. Muito bem analisada.

    Acho que, depois dessa resenha, vale a pena dar uma conferida no primeiro livro.

  4. 4 fmattosa 10/12/2011 às 11:00 pm

    Tô com 2 livros em mãos pra terminar de ler, e mais outros 2 baixados no pc pra ler.. mas assim que terminar, eu vou dar um jeito e ler o Dexter, o primeiro e o segundo, me chamaram muita atenção, rs.

  5. 5 Mari 11/12/2011 às 12:33 pm

    um dos poucos casos em que achei a adaptação melhor que o livro. Não que seja ruim, mas acho a série muito superior. Parece que o livro é incompleto, sei lá. Li os dois primeiros, mas não consigo me convencer a gastar meu dinheiro nos demais.

  6. 6 Fernanda 11/12/2011 às 2:38 pm

    Ganhei o Dexter no escuro de uma amiga no meu aniversario. Quando terminei ler, não gostei (principalmente pelo desfecho) e perdi meu interesse pelos outros livros, mas ai um amigo me emprestou o primeiro e eu amei. Agora falta ler o 2º e o 4° 😉

  7. 7 Lara 11/12/2011 às 10:13 pm

    Você não precisa ler eles na ordem, né? Porque eu não sei absolutamente nada sobre essa série, mas tô com o segundo. Precisa ler o primeiro antes?

  8. 8 Almeida 12/12/2011 às 12:01 am

    tem algumas coisas que ele explica no primeiro, tipo os traumas da namorada dele, os traumas da família dele, como funciona o Passageiro e tal…

    O primeiro é meio importante, mas dá pra vc presumir e entender os outros sem ele. :3

  9. 9 anna 14/12/2011 às 8:41 pm

    vou dar um jeito de arranjar dinheiro e comprar tds :3

  10. 10 Kauane 15/12/2011 às 3:11 pm

    Só li o primeiro, que é realmente muito bom. E, bem, em TODAS as livrarias que eu fui que possuiam os livros dessa coleção, TODOS custavam 40 contos. Então não diga que ‘não é mais que 30’, porque é sim! HDSIUAHDUIAHDISA besos :*

  11. 11 Dessa 16/12/2011 às 8:11 am

    Você apontou justamente um dos defeitos que eu encontrei no terceiro livro: Dexter e seu conflito interno. Eu não achei o terceiro tão ruim assim, mas sinceramente, tinha horas que isso cansava tremendamente.
    Falta agora uma resenha sobre “Dexter é delicioso”, o quinto livro da trama, que eu já estou lendo, mas ainda não terminei. O enredo desse também é muito bem bolado, mas o [SPOILER] nascimento da filha de Dexter acabou com tudo, e lá pela metade do livro o que eu tenho é vontade de matar a garota ‘-‘ [/SPOILER]. Achei o assassino bem pensado e o que eu mais aprecio no Jeff Lindsay é a capacidade de criar casos policiais cada vez mais grotescos. Apesar de tudo, Dexter rulez :33

  12. 12 Letícia 24/12/2011 às 6:12 pm

    tu leu morangos mofados do caio né? faz uma resenha aê meids

  13. 13 Pedro 06/04/2012 às 8:52 pm

    E o quinto livro????
    O nome é Dexter é delicioso. Tem na saraiva. Leiaaa

  14. 14 José 25/02/2013 às 1:05 am

    Ótima resenha, mesmo assim, eu irei comprar todos os livros. E tirarei minhas próprias conclusões.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Atualmente:

Música: Canção da Noite
Banda: Fresno
Livro: Sherlock Holmes
Série:
How I Met Your Mother

Destaques

Um rolê em Madureira: 918 e 919 nunca tiveram uma diferença tão grande na minha vida. Essa diferença somado com a insano desejo do destino de me foder, causou uma peripécia de tremer as cuecas.

Ensino Médio deturpando sonhos:

Apesar do Ensino Médio ser repleto de conhecimentos babacas os quais nunca terão a menor utilidade em nossas vidas, ele pode desmentir algumas informações as quais fizeram você acreditar ser verdade por toda sua vida.

Adão era digno de respeito: Além de não precisar usar cuecas e dar a primeira bimbada da história, Adão ainda não precisa viver momentos constrangedores pelo fato de existir outras pessoas no mundo. Porque falamos tanto de Jesus tendo um herói bíblico desses?



Para ler mais dos textos menos piores do blog, clique aqui.

RSS Twitter

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

Gostou de um texto?

Mande para o Uêba

Ou pro LinkLog

Ou pro Ocioso.

  • 655,908 visitas

%d blogueiros gostam disto: