Jurassic Cajá

Outro dia estava eu, humildemente, largando um barrão no banheiro dos fundos aqui de casa. O banheiro dos fundos, talvez por ser… bem, dos fundos, nunca recebe muita atenção da minha mãe na hora da limpeza. E quando eu digo “nunca”, eu quero dizer que tem uma teia de aranha lá que permanece intocada desde os tempos de Janis Joplin. Essa situação faz com que, por vezes, o utilizador do sanitário seja surpreendido pelos mais diversos tipo de animais silvestres, que variam desde aranhas enjoadas de comer poeira e decididas a comer seres humanos, a baratas do tamanho da coxa da Valeska.

E não é que mais uma vez eu fui surpreendido por uma besta selvagem? A moça era famosa, aliás. Se não me falha a memória, o último trabalho dela havia sido como Cearadáctilo no filme do Jurassic Park. Mas esse filme é antigo. Ela já havia crescido muito desde então.

Eu e ela, ela e eu. Nós 4. Olho no olho.

Tive a mesma reação que todo homem másculo e ousado teria – saí correndo, com as calças nos tornozelos e os equipamentos balançando. Percebi que havia deixado a porta aberta, o que abria a possibilidade dela fugir do banheiro e se tornar um risco de proporções mundiais. Mas já estava longe demais para voltar, e desarmado nada poderia fazer em caso de um ataque.

Só parei de correr quando meus olhos avistaram uma arma grande o suficiente para lutar de igual para igual com a besta assassina – um pedaço de madeira maior que meu braço. Era a minha própria Zambatou da justiça. Já munido do armamento necessário e tendo levantado a cueca, parti para o combate. Sabia que eu poderia não voltar vivo, mas era um risco a se correr.

Quando avistei a criatura, ela voou em minha direção e tentei acertá-la com um Home Run, mas não obtive êxito. Parece muito mais fácil nos filmes. Vendo-se acuado e na eminente situação de ser derrotado, o monstro voador se enfiou nas brechas da porta do banheiro e nunca mais o vi.

Não entro naquele banheiro desde então.

Logico que é só uma medida de precaução, pois sou inteiramente contra agressões físicas e não quero ficar arranjando briga, principalmente com animais. O Ibama poderia me meter um processo e eu ainda sairia perdendo. Se não fosse por isso, já o havia confrontado novamente.

O que acontece é que essa situação foi semelhante a um outro acontecimento ocorrido já na década retrasada, quiçá no milênio passado. Eu tinha menos de 7 anos quando aconteceu. Veja bem – eu não lembro o que comi no jantar, e isso não faz nem 4 horas, mas eu lembro deste ocorrido. Foi algo realmente traumatizante, do tipo que eu poderia usar como desculpa caso algum dia eu venha a me tornar um assassino estuprador necrófilo. Estupra, mata e estupra de novo.

Supunhetemos que eu tivesse 6 anos. Ainda morava na antiga Rua do Cajá, na Penha, zona norte carioca. Manja a entrada pra Vila Cruzeiro, onde rolou a Guerra no Rio? Então. É ali.

Diversas vezes eu ouvia barulhos em casa, mas acreditava ser alguma atividade paranormal, ou simplesmente estava soltando alguns flatos sem perceber. Manja quando tu tá escrevendo com uma lapiseira e o grafite começa a fazer aquele barulhinho irritante? Então. Era mais ou menos o mesmo barulho, facilmente confundido com aquele peidinho agudo e sonoro que ocorre quando se trinca os glúteos com o intuito de impedir que o flato vase para o mundo exterior.

Simplesmente os ignorava. Até que, certo dia, a tragédia ocorreu.

Acabava de anoitecer e estávamos eu, minha mãe e irmão na sala, assistindo a “O Mundo é dos Jovens”, no SBT. Farei um desenho para vocês entenderem como estavam distribuídos os móveis e minha família na sala.

Sei que desenho muito bem, mas deixemos isso para os comentários

O barulho de flato estava presente no recinto, como sempre, mas acreditei que fosse meu irmão. Havíamos acabado de jantar e, naquela época, nossa alimentação se resumia à batata frita e bife, então havia reais motivos para os flatos estarem sem freio naquela noite.

O episódio acabava de começar e era a preparação do casamento do Cory com a Shannon (é assim mesmo o nome dela? Sei lá, faz 10 anos, porra). Até que, quando menos esperávamos, éramos surpreendidos por uma besta sedenta de sangue.

Minha mãe se utilizou de uma habilidade muito comum aos seres do sexo XX – gritou, agudo e inutilmente, durante instantes. Meu irmão, agora mártir de meus pensamentos, pois se mostrou um homem muito capaz de conter seus flatos, se escondeu atrás do sofá tentando pensar em uma tática de ataque ao monstro.

Aos 6 anos eu ainda não tinha a necessidade de provar que era um homem – afinal, eu não era. Então, me dispus desse fato para correr feito uma menininha para meu quarto e me trancar lá, bem longe do monstro, e deixar o resto do pessoal sentar na trolha. O problema é que eu tava com TANTO medo daquele bicho, que eu, não abstente em ter trancado a porta, ainda ficava forçando ela contra a parede, como se alguém do outro lado estivesse querendo entrar.

Uma vez até juntei toda a minha coragem acumulada nos últimos 6 anos e abri a porta. Estava silêncio, e não vi nenhum movimento. Pensei: o monstro comeu meus familiares e partiu pra casa do vizinho. Seria o massacre da rua do Cajá. Fui até o corredor da casa e, na frente de um armário, eles estavam ajoelhados no chão olhando fixamente para o armário.

“Ué, já mataram?”
“AF SAI DAI MLK O MONSTRO TÁ ATRÁS DO ARMÁRIO”
“QUÉ/”

E houve mais um grito agudo de menininha. Mas dessa vez era meu.

Corri novamente pro quarto e agora colocava toda a minha força de criança de 6 anos contra a porta, para que não houvesse a menor possibilidade do monstro entrar no meu quarto. Uma última vez, ainda juntei meus resquícios de coragem e abri a porta novamente: a cena era meu irmão correndo atrás do monstro com uma vassoura, e minha mãe com um BALDE.

Depois de uma hora e meia, me foi dado o sinal de que o local estava seguro novamente. Abri a porta e dei de cara com o bicho DECAPTADO no chão. Ali, naquele instante, nascia o novo Batman.

Meu pai chegou em casa meia hora depois, e ficou sacaneando minha mãe que estava aos prantos. Só por isso, foi ele quem teve que limpar o sangue. A cena dele jogando o corpo fora foi mais ou menos assim:

Só que de noite.

Saldo da noite: perdi o episódio de O Mundo é dos Jovens e ganhei um trauma.

Trauma este que só foi reforçado com o passar do tempo e a maldade do mundo. Tipo quando eu fui tomar banho na casa da minha avó e um bicho saiu do ralo e começou a subir a minha perna. Gritei por socorro e minha avó disse que era cabelo do meu avô. Respondi “mas meu avô é careca!”. Ela ignorou minha constatação.

Ou quando eu viajei e fiquei hospedado em um hotel em que, num espaço de quinze minutos, encontrei 3 lagartixas. Pra quem não é bom em matemática que nem eu, isso significa que, em uma hora, eu encontraria 47 lagartixas!

Animais da noite não gostam de mim e eu não gosto deles. Mas aquele Cearadáctilo que me aguarde.

Anúncios

48 Responses to “Jurassic Cajá”


  1. 1 mary 29/05/2011 às 8:54 pm

    ~vindo comentar pra não ter fama de preguiçosa~

  2. 2 carou 29/05/2011 às 8:55 pm

    que loucura

  3. 3 Lucas Xavier 29/05/2011 às 8:57 pm

    até cliquei nos adsense ^.^

  4. 4 panicattheDVD 29/05/2011 às 9:01 pm

  5. 5 Andressa 29/05/2011 às 9:01 pm

    ~vindo comentar pra não ter fama de preguiçosa~
    e pra dizer que você desenha bem, obviously.

  6. 6 AneGreene 29/05/2011 às 9:02 pm

    Você com medo de morcego, grande surpresa. O único comentário que posso dar com esse post é: KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK conseguir me fazer chorar de rir

  7. 7 AneGreene 29/05/2011 às 9:03 pm

    Ah, vdd, muito bom o desenho, esqueci.

  8. 8 Giovanna 29/05/2011 às 9:04 pm

    nossa almeida, me impressiona sua coragem viu champs
    OIJPAOKSDPO
    desenha muito bem no paint em? (y) kk

  9. 9 Vitória 29/05/2011 às 9:06 pm

    cacete almeida eu não rio assim desde o “Inundamos a sala de aula” LMALÇSMD~M~SMDLHDFISDKNSLK

  10. 10 Carol. 29/05/2011 às 9:07 pm

    dajdakdhh uma tempestade em um copo d’agua……..

  11. 11 Nicole 29/05/2011 às 9:07 pm

    hahaha ri muuito! já tive uma experiência com um morcego também, mas nem me dei ao trabalho de sair do quarto pra ver os motivos dos gritos na sala rs

  12. 12 Leonardo Alves 29/05/2011 às 9:09 pm

    Cara realmente me surpreendi com seu potencial de como agregou as coisas positivas e negativas de um cotidiano normal em seu texto, é provável que você possa, daqui uns tempos, presenciar uma vida de privilégios conseguidos atavés desse seu dom da escrita. Eu sou apenas um Estudante do Ens. Médio, 2ª Série para ser preciso, porém eu adquiri à medida do tempo um senso crítico da realidade, assim como o seu, que por si é admirado aqui no interior do Tocantins. Então continue criando uma realidade sua que você vai alto Garoto. (please answer on Twitter).

  13. 13 Mariane Ferrari 29/05/2011 às 9:12 pm

    ri demais OASOIAHSOAHSIOIASAOIHSIOSHOI

  14. 14 Aline 29/05/2011 às 9:17 pm

    Nossa Almeida tu esta sempre nos mostrando que é um sobrevivente, já tive meus momentos com morcegos tb, o primeiro quando eu estava na barriga da minha mãe, que acabou o matando já que meu pai foi se esconder nos lencóis, no outro a minha irmã o matou com uma faquinha e no outro um amigo o matou. *Não sei pq falei disso*. Gostei do post, bjs

  15. 15 Jurema Barreto 29/05/2011 às 9:30 pm

    Adorei o post! Me lembrou da minha casa antiga, quando eu era piveta. A minha casa antiga não tinha forro, e vivia entrando morcego, passarinho, e mais coisinhas. Naquela época,além da minha mãe e eu, morava na minha casa minha tia, minha madrinha e uma prima(a casa era grande pra porra), que era louca por bichos. Quando eu tinha 7 anos, a casa chegou ao cumulo de abrigar 12 gatos e 5 morcegos. E todos nomeados e vacinados.

  16. 16 E.L.D 29/05/2011 às 9:37 pm

    Eu lembro d ter visto morcegos menores.

  17. 17 Camilla F. 29/05/2011 às 9:48 pm

    47 lagartixas em uma hora ? Pra quem é ruim de matematica mesmo ein. kkkkkk muito bom como sempre

  18. 18 hana 29/05/2011 às 11:41 pm

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK *RESPIRA* KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK desculpa, mas passei o post inteiro rindo. você era másculo com 6 anos e, agora então, ainda mais. HAHAHHAHAHAHA

  19. 19 Bel Barboza 29/05/2011 às 11:46 pm

    cristo kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  20. 20 Ives 29/05/2011 às 11:47 pm

    Morcegos? Que tenso cara, nunca vi um de pertinho.

  21. 21 Bec 29/05/2011 às 11:51 pm

    “Tipo quando eu fui tomar banho na casa da minha avó e um bicho saiu do ralo e começou a subir a minha perna. Gritei por socorro e minha avó disse que era cabelo do meu avô. Respondi ‘mas meu avô é careca!’. Ela ignorou minha constatação.”

    Almeida, nunca ri tanto ASDFGHJKLÇ~]~ÇLKJHGFDSA

  22. 22 Almeida 29/05/2011 às 11:56 pm

    NEM ELES querem ir pra Campo Grande.

  23. 23 @leek4 30/05/2011 às 12:10 am

    nossa,
    adoreeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeei!
    muito, muito, bom
    parabéns!
    as aventuras do Almeida voltaram *-*

    ‘Era mais ou menos o mesmo barulho, facilmente confundido com aquele peidinho agudo e sonoro que ocorre quando se trinca os glúteos com o intuito de impedir que o flato vase para o mundo exterior.’
    racheei, haha muito bom!

  24. 24 Gabi Casares 30/05/2011 às 12:27 am

    no meu colégio tem mangueira no pátio. quando eu estudava à tarde, sempre entravam na sala. a professora de inglês ficava doida.

    hey, não sabia que você morava na minha rua! ainda morava aqui na época do colégio?
    bgs ;*

  25. 25 Almeida 30/05/2011 às 12:44 am

    Nopp.
    Me mudei pra Ramos 😛

  26. 26 Julia 30/05/2011 às 12:44 am

    ” “Ué, já mataram?”
    “AF SAI DAI MLK O MONSTRO TÁ ATRÁS DO ARMÁRIO”
    “QUÉ/”
    E houve mais um grito agudo de menininha. Mas dessa vez era meu. ”

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKK Riii muuiito
    muito legal o texto meids *-*

  27. 27 Thereza F. 30/05/2011 às 5:26 am

    KDSOKDSPKDPSOKDSPODKDKSPK OMFG, tô rindo aqui KK
    Mas morcegos se tornaram tão comuns pra mim (se rolar algum comentário ligando isso e a África, não vai ser nada divertido U_U).
    E qual é, Meidinha (: Tu desenha muuito bem! Mas só espero que sua vida não dependa disso porque, você sabe, gosto muito de você :B

  28. 28 @nadaquerida 30/05/2011 às 1:37 pm

    a casa que fica ao lado da minha deve hospedar uns 5 desses………………..quem vence

  29. 30 raquel 30/05/2011 às 4:42 pm

    kkkkk, ri bastante…

    aqui em casa já apareceu morcego, mas quando eu o vi já estava morto, meu cachorro o matou antes que pudesse me atacar…

  30. 31 elaine 30/05/2011 às 6:37 pm

    eu morava na rua dionisio e no meu apartamento tinha uma mangueira cheia de morcegos, já entraram lá em casa também!

  31. 32 vitoriamoraesb 30/05/2011 às 8:13 pm

    adoro quando o meids se ferra

  32. 33 Bruna Almeida 30/05/2011 às 9:39 pm

    MANOOOOOO, que tenso, seilá, nunca vi um morcego, mas to rindo até agr. Almeida sempre se ferrando desde os 6 aninhos AHUSHAUHAUSHAUSHAUHSAUHSUASHUS

  33. 34 Gabi Casares 30/05/2011 às 9:50 pm

    ah tá. naquela época que você foi na festa lá em casa eu só tava morando há uns dois meses.. não lembro de você ter falado que morava aqui, rs

  34. 35 @usernameidiota 30/05/2011 às 10:26 pm

    Você desenha muito bem (; OKDOKSKDS
    Suas aventuras me fizeram lembrar de coisas semelhantes da minha infância, qualquer grilo era dinossauro.

  35. 36 Caio 31/05/2011 às 12:39 am

    Almeida, esse deve ser o filho perdido da família que tem na escada lá do colégio, toda noite quando fazem muito barulho a família sai e todos gritam e é aquela correria, alguns até preferem ir pela escada mais distante, enfim, quando o ver novamente avise que encontrou sua família.

  36. 37 Alex Gama 31/05/2011 às 4:19 am

    sinto vergonha ao dizer mas o único tipo de animal que possa me fazer sair de perto e talvez dar uns gritinhos (suaves) são aranhas.. Monstros de 8 pernas querendo Devorar minha alma Sugar meu sangue e jogar a carcaça fora

  37. 38 @FhaSBS 01/06/2011 às 1:31 am

    euri UIAHSUIASHAUISHAUISHA ‘ odeiosos bichos da noite também .

  38. 39 fmattosa 01/06/2011 às 5:07 pm

    Ali, naquele instante, nascia o novo Batman. <<
    AHSHSHSHSHAHSHSHSHSHAHSHSHSHSHAHSHSHSHSHAHSHSHSHSHAHSHSHSHSHAHSHSHSHSHAHSHSHSHSHAHSHSHSHSHAHSHSHSHSHAHSHSHSHSHAHSHSHSHSHAHSHSHSHSHAHSHSHSHSHAHSHSHSHSHAHSHSHSHSHAHSHSHSHSHAHSHSHSHSHAHSHSHSHSHAHSHSHSHSHAHSHSHSHSHAHSHSHSHSHAHSHSHSHSHAHSHSHSHSHAHSHSHSHSHAHSHSHSHSHAHSHSHSHSHAHSHSHSHSHAHSHSHSHSHAHSHSHSHSHAHSHSHSHSH

  39. 40 fmattosa 01/06/2011 às 5:08 pm

    Odeio bichos da noite também. Menos corujas. Corujas são legais.

  40. 41 Kaique 10/06/2011 às 8:28 am

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK RIDMS !

  41. 42 Alex Gama 11/06/2011 às 2:58 am

    Eu sumi do TOP VAGABUNDOS O.o

  42. 43 Alex Gama 11/06/2011 às 3:00 am

    Pô será que com esse coment vou aparecer lá em cima ?

  43. 44 Matheus Almeida Avila 12/06/2011 às 3:00 am

    “SUPUNHETEMOS” KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

  44. 45 Carmina 16/06/2011 às 11:11 am

    Ohhhh, eu gosto de morcegos, na minha casa de Minas era cheio e eu os acho tão linnnndos

  45. 46 @ericaiscoollike 16/06/2011 às 10:41 pm

    ai almeida, ri demais HAUAHAUAHUAHAUAHUAHA
    tem um morcego que mora na árvore que fica na frente do prédio de informática do meu colégio desde que eu tava na segunda série, fui atacada uma vez. Hoje, estou no segundo ano e não consigo passar por aquela árvore com tranquilidade.

  46. 47 @raay_sb 16/06/2011 às 11:15 pm

    eu nunca vi um morcego, mas sempre tive muito medo deles :c as vezes sou um pouco fresca e grito por causa de uma borboleta, imagina se vejo um morcego, cara…
    tem gente que fala ‘se tivesse coco pronto, tinha feito, tamanho susto que levei’ bom né, pelo jeito você tinha e fez HAHAHA er, péssima.

  47. 48 cami 18/06/2011 às 9:20 pm

    HAHAHAHHAHAHAHAHHAHAHAHA MUITO BOM, SÉRIO! Sua mãe é minha heroína favorita agora.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Atualmente:

Música: Canção da Noite
Banda: Fresno
Livro: Sherlock Holmes
Série:
How I Met Your Mother

Destaques

Um rolê em Madureira: 918 e 919 nunca tiveram uma diferença tão grande na minha vida. Essa diferença somado com a insano desejo do destino de me foder, causou uma peripécia de tremer as cuecas.

Ensino Médio deturpando sonhos:

Apesar do Ensino Médio ser repleto de conhecimentos babacas os quais nunca terão a menor utilidade em nossas vidas, ele pode desmentir algumas informações as quais fizeram você acreditar ser verdade por toda sua vida.

Adão era digno de respeito: Além de não precisar usar cuecas e dar a primeira bimbada da história, Adão ainda não precisa viver momentos constrangedores pelo fato de existir outras pessoas no mundo. Porque falamos tanto de Jesus tendo um herói bíblico desses?



Para ler mais dos textos menos piores do blog, clique aqui.

RSS Twitter

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

Gostou de um texto?

Mande para o Uêba

Ou pro LinkLog

Ou pro Ocioso.

  • 653,835 visitas

%d blogueiros gostam disto: