Arquivo de dezembro \30\UTC 2008

Meeting

Sábado teve um meeting. Pra quem não sabe, meeting é quando um grupo de jovens desocupados que se conheceram na Internet, marcam um local e horário para dar as caras. A questão é: Nesse meeting, TUDO que poderia dar errado, deu. Desde o momento em que eu saí de casa até o momento em que eu voltei, tudo deu errado. Mas não, eu NÃO odiei o meeting. Foi divertido. Se vocês gostam de ver eu me fodendo, rocamboleiem de alegria com esse post.

Continue lendo ‘Meeting’

Então é natal.

Há pouco eu tive de fazer um msn novo. Tive uns problemas na escola e minha mãe me obrigou a mudar de orkut e msn, sabe lá deus o porquê. Nesse msn novo, eu tenho por volta de 50 a 60 contatos, em sua maioria nerds que passam o dia inteiro no computador e meninas que passam o dia inteiro no computador mas a noite inteira na rua, então não se enquadram no perfil nerd. 8 pessoas estão online nesse exato instante. Entre elas, 1 é o msn group do Sdlaranja e seis estão com o estado “na sala” ou “saí”. O outro 1 contato é a Thaís, para os leitores do Sdlaranja, “Without Forehead”. No twitter, ninguém twitta nada há mais de 2 horas, e quem twittou por último foi o Kid, que mora em outro país com um fuso-horário extremamente diferente do de Brasília. E eu tô aqui, sozinho, vendo Wonderland, DVD do McFly de 2005. Isso deve-se à uma comemoração do nascimento de um cara muito velho chamado G-zuz. É, já é natal na leader magazine.

Continue lendo ‘Então é natal.’

Então é natal.

Há pouco eu tive de fazer um msn novo. Tive uns problemas na escola e minha mãe me obrigou a mudar de orkut e msn, sabe lá deus o porquê. Nesse msn novo, eu tenho por volta de 50 a 60 contatos, em sua maioria nerds que passam o dia inteiro no computador e meninas que passam o dia inteiro no computador mas a noite inteira na rua, então não se enquadram no perfil nerd. 8 pessoas estão online nesse exato instante. Entre elas, 1 é o msn group do Sdlaranja e seis estão com o estado “na sala” ou “saí”. O outro 1 contato é a Thaís, para os leitores do Sdlaranja, “Without Forehead”. No twitter, ninguém twitta nada há mais de 2 horas, e quem twittou por último foi o Kid, que mora em outro país com um fuso-horário extremamente diferente do de Brasília. E eu tô aqui, sozinho, vendo Wonderland, DVD do McFly de 2005. Isso deve-se à uma comemoração do nascimento de um cara muito velho chamado G-zuz. É, já é natal na leader magazine.

Continue lendo ‘Então é natal.’

Antes de dormir

O lance de colocar imagens no início do texto não vingou. Desculpe. Percebi que o blog ta indo por um caminho completamente diferente do que eu imaginei no início. Os leitores não se divertem mais com os posts e eu perco mais tempo fazendo imagens pra deixar tudo colorido do que os próprios textos. Então, fuck all that shit.

****

Se suas férias tiverem metade da agitação que as minhas tem, você passa, definitivamente, o dia inteiro em casa. E quando se passa o dia inteiro em casa, os únicos momentos em que você se utiliza de um pouco da energia recebida das centenas de açúcares ingeridos, é quando você se desloca da cama para o sofá, do sofá pro chão e do chão pro pc. Depois você volta pra cama e o ciclo permanece estável até o fim de semana, onde se você tiver sorte, sua namorada vai lembrar de sua humilde existência ou seus amigos irão voltar de viagem e você vai ter um pouco de instabilidade no ciclo e irá para o shopping, ficar sentado na cadeira do cinema, ou deitado em cima de sua namorada também no cinema.

Continue lendo ‘Antes de dormir’

Você quis dizer “A Bela e a Fera”.

Meu rosto é filhadaputamente maquiavélico. Sério mesmo. Quer saber se o seu é também? É simples. Morda o lábio superior. Se você passar as próximas cinco horas chorando que nem um bebê com a bunda necessitada de Hipoglos e bater com a cabeça na parede por livre e espontânea vontade, parabéns, você tem um rosto filhadaputamente maquiavélico e uma espinha no buço! Se não, vá se entupir de chocolates e amanhã a gente conversa. Agora imagine você com essa bendita reserva de gordura localizada no seu buço no dia anterior ao encontro com sua fêmea.

Continue lendo ‘Você quis dizer “A Bela e a Fera”.’

Profissões boas demais para você.

Trabalho é algo produtivo. Se é algo produtivo, não pode ser algo divertido. Isso é uma contradição, “produtivo” diferente de “divertido”.

No entanto, existem certos seres revolucionários que criaram a idéia de ter um trabalho que pode ser divertido, ou no mínimo não-entediante. E eu não estou falando de ser como o Kid que leva um PSP pro trabalho e se diverte o dia inteiro fingindo que está trabalhando. Eu estou falando de se divertir trabalhando.

Eu sei que meus leitores não são lá as pessoas mais sãs desse mundo, afinal, são meus leitores, mas vocês já devem ter a mínima noção de que fazer o que você gosta da vida é impossível. Ou tu ganha dinheiro ou tu morre de fome, e fazer o que você gosta não está incluído em nenhum desses dois aspectos. Isso é um paradoxo que a sociedade pedagógica lhe pressiona a acreditar para que você se esforce em tal ramo.
Eu lembro que na quarta série, meu sonho era ser um desenhista. Teve até uma época que eu quis ser jornaleiro, porque meu amigo ia ser desenhista e eu não queria que pensassem que eu o estava imitando, então, decidi ser jornaleiro para mexer com revistas do mesmo jeito, mas isso é outra história. Íamos ter que fazer aquelas apresentações que só a professora e a turma assistem – nem os pais eram convidados – com o único e principal intuito de perder aula e coçar o bolso dos pais. Quando disse que queria ser desenhista, a professora disse que eu deveria me esforçar pra quando for falar sobre negócios com um rico colecionador eu soubesse manter o nível da conversa. Meus olhos brilharam. “Uau, vou estudar para ser um grande desenhista!”. Bulhufa nenhuma, puro papo. Quero ser vagabundo, como se estuda pra isso?

Voltando ao assunto do post. Há certas pessoas que arrumaram uma saída para se divertir enquanto trabalham. Pessoas que com um pequeno custo conseguem viver o sonho de qualquer ser humano nesta bendita crosta terrestre. Dentre eles, estão os:

Músicos:

O mundo da música, assim como todo o mundo do entretenimento tem um grande e fatal rival: As Pessoas.
Ser músico pode ser uma fonte inesgotável de dinheiro e diversão, se você tiver nascido com a bunda pra lua e qualquer berro que tu soltar fazer sucesso. Se você tem uma coisinha chamada princípios, você nunca fará sucesso nessa vida.
É um jogo perigoso. Se você não tem personalidade para beber, usar drogas, mostrar o dedo do meio para metade do mundo, aparecer pelado na internet, raspar a cabeça berrando que é o anti-cristo e ainda dizer em rede nacional que é tudo uma conspiração da mídia sobre você, você não faz sucesso. E não são todos que conseguem fazer isso.
Há desde Keith Richards, que o faz desde 666 a.C. e ainda nos encanta com seu bom humor e esbelto rosto, enquanto pessoas como Britney Spears, Amy Winehouse, Lindsay Lohan e diversas outras personalidades, que nasceram com o famoso “pé-na-cova”.
Ser músico é uma profissão divertida, porém curta. Se você faz muito sucesso, você viaja para o mundo todo, onde seu ego é alimentado por pessoas de todas as cores e caras, onde seu bolso fica cada vez mais cheio e seu fígado cada vez mais fudido. Quando passa a sensação, quando você dá um murro na cara do teu guitarrista, ou quando seu vocalista aparece com um tiro na cabeça e uma carta de suicídio, pode dizer adeus para o que você chama de vida glamourosa e olá para a escuridão de ser um vendedor ambulante de sorvetes.

“Fumei meu pai, e aí?”

Jogador de Futebol:

Acho que todos os brasileiros – menos eu – já tiveram o sonho de ser jogador de futebol. Pra que diabos eu vou ser um jogador de futebol?

Jogar bola é o que as pessoas têm como programa de entretenimento durante os fins de semana. Se isso for o trabalho da pessoa, a pessoa está em horário de entretenimento em tempo integral.
Viajar para os 4 cantos do mundo para jogar futebol em gramados internacionais é o sonho de muitos. Perder um gol da copa é o pesadelo – e sentença de morte – de todos. Se você joga bem, o time adversário irá contratar alguém para te matar enquanto você dorme, ou jogará pedras em você quando marcar um gol. Se você for ruim, aquele cara que apostou o próprio furico como você ganharia o jogo, irá querer tirar as contas com o teu traseiro. Ou seja, é tudo ou nada.
Seu nome estará na boca de todos. Se alguém quiser xingar outro alguém, dependendo da classe mental do mesmo, o time da pessoa será o primeiro a ser ofendido. “Camisa feia, cheia de listra, todo viado que eu conheço é flamenguista.”; “Camisa feia, cheia de cor, todo viado que eu conheço é tricolor.”;
(Isso não foi uma ofensa aos tricolores nem aos flamenguistas, afinal, eu mesmo sou tricolor.)

Atores pornô:

As mulheres que me perdoem, mas essa profissão eu vou escrever direcionado aos homens, porque se eu falar “fuder uma loira gostosa” eu sou macho, agora se eu falo “fazer amor com um alemão sarado” é fruta.
Porque ser um ator pornô?
Oras bolas, quem não gosta de sexo? Pela concepção de qualquer um em sã consciência, ser ator pornô é ganhar dinheiro enquanto faz sexo com loiras super gostosas em diversos locais, posições e sabores.
Por outro lado, ser ator pornô não é o tipo de profissão que sua tia-avó Josefa vá se orgulhar de contar para as vizinhas. Além do preconceito recebido pela sua própria família, de 90% das mulheres – os outros 10% você já comeu – e das pessoas maduras, é INFINITAMENTE difícil ter uma relação duradoura com qualquer ser do sexo oposto. Apesar de desculpa “é só trabalho”, ninguém gosta de ver a pessoa que ama – ou que rouba dinheiro – fudendo com outras.
Outro ponto negativo, é o fato de que você terá de se manter em forma. A menos que você queira fazer filmes “caseiros” onde casais de gordinhos, peludos e feios fodem, você terá de manter boa aparência tanto corporal quanto facial. Sem contar a pressão. Se há pessoas que não agüentam a pressão de manter o brinquedo pra cima durante uma relação sexual caseira, imagina na frente de câmeras-man – no mínimo 3 -, diretor, cabo-man, assistentes – do diretor, do câmera, do caralho a quatro, e o SEU assistente – e seu maquiador – que normalmente é viado -, todos de pau duro olhando para você. Sim, VOCÊ.

Mas você sempre pode falar “Lembra aquele filme que tu bateu punheta? Há, eu comi!”.

Modelos:

Seus pais são duas criaturas medonhas. Peludos, baixinhos, gordos e sua mãe tem um bigodinho nascendo daquela verruga em cima da sobrancelha dela. No entanto, por algum motivo você conseguiu sair uma criancinha menos feia e menos baixinha. Por algum motivo você conseguiu aprender a andar de um jeito especial, que as pessoas costumam chamar de “talento”. E por algum motivo, você decidiu andar assim, enquanto jogava seus longos e brilhantes cabelos loiros na frente de um dos diretores de uma agência de modelos.
Pronto, virou modelo. Agora seu trabalho é: Manter a forma, sair em tudo que é revista e ter metade do mundo babando seu ovo.
No entanto, manter a forma quando se é modelo é algo extremamente complicado. Haja visto que tudo que é modelo é anorexa.

Blogueiros:

Não estudou quando devia, gastou a mesada com drogas e discos do Guns ao invés de juntar para investir em ações, namorou a morena super-gostosa que tu conheceu na favela ao invés de namorar a riquinha que estuda na mesma sala que você? Pronto, virou blogueiro.
Ser blogueiro não é algo que você deva se orgulhar. A menos que uma de suas matérias saia no jornal – de preferência impresso, para que todos da sua família comprem e o invejem, nada de sair no uol -, você será só mais um zé-ninguém nessa imensa blogosfera.
No início é divertido, você deixa de ir numa festa para postar sobre como ela poderia ter sido no blog, você deixa de assistir ao pornotube para postar um vídeo sobre reprodução dos ornitorrincos no blog, você deixa de fazer um vídeo caseiro sobre relações sexuais entre você e sua mulher para fazer um podcast com seus amigos pro blog, mas depois, vai se tornando um vício, onde você fica 24horas na frente da tela postando, é conhecido internacionalmente e odiado pela maioria dos seus leitores.
As pessoas entram no seu blog só para brincarem de quem comenta mais nos seus comentários até explodir a porra do sistema de comentários. As pessoas usam você como referência para coisas ruins. As pessoas usam teu nome como xingamento.
E isso tudo que eu falei é mentira, porque as pessoas não gastam o tempo como você, blogueiro, as pessoas ao invés de lerem blogs, vêem vídeos pornôs e vão para festas. As pessoas, ao invés de terem um vida blogueira tem uma vida social.

Blogueiros são uma raça odiosa.

People are Strange

Photobucket


Pois é, zé. Dezembro. O ano acabou. Esse ano foi memorável. E não é só porque AMANHÃ é minha formatura – cuja tem convites sobrando, já que todos, menos minha mãe, estarão trabalhando -, mas cara, esse foi um ano importante, vai. Num geral, foi uma MERDA, mas ainda assim, foi importante.

Continue lendo ‘People are Strange’


Atualmente:

Música: Canção da Noite
Banda: Fresno
Livro: Sherlock Holmes
Série:
How I Met Your Mother

Destaques

Um rolê em Madureira: 918 e 919 nunca tiveram uma diferença tão grande na minha vida. Essa diferença somado com a insano desejo do destino de me foder, causou uma peripécia de tremer as cuecas.

Ensino Médio deturpando sonhos:

Apesar do Ensino Médio ser repleto de conhecimentos babacas os quais nunca terão a menor utilidade em nossas vidas, ele pode desmentir algumas informações as quais fizeram você acreditar ser verdade por toda sua vida.

Adão era digno de respeito: Além de não precisar usar cuecas e dar a primeira bimbada da história, Adão ainda não precisa viver momentos constrangedores pelo fato de existir outras pessoas no mundo. Porque falamos tanto de Jesus tendo um herói bíblico desses?



Para ler mais dos textos menos piores do blog, clique aqui.

RSS Twitter

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

Gostou de um texto?

Mande para o Uêba

Ou pro LinkLog

Ou pro Ocioso.

  • 652,756 visitas