Timidez, WTF

Eu sou tímido. Essa é uma verdade incontestável. Você não precisa nem falar comigo pra perceber isso. Escrevendo esse post eu deixo isso bem claro. Afinal, se eu estou escrevendo, é porque eu não tenho coragem pra falar. E eu não tenho coragem pra falar por ser tímido. É uma bola de neve.

Eu tenho um trauma. Daqueles de infância que vai te perseguir o resto da vida. E lá, na hora em que você estiver prestes ao orgasmo com o seu par na lua de mel, você vai lembrar dele e broxar na hora. Quando eu era pivetinho, o meu pior medo era beijar alguém na frente dos meus pais. Eu tinha a psicologia “não vou me casar só pra meus pais não me verem beijando”. Juro! Eu pensava isso. Até comia a última batata frita acreditando que assim eu seria o último a me casar. Lendas urbanas… tsc.

Meus pais sabem sobre o namoro com a Nathie. Eles descobriram quando foram me levar no show do McFly com ela. Minha mãe me pos na parede e perguntou se eu tinha compromisso com ela. Completamente sem graça e imóvel, tentei balbuciar a cabeça pra frente fazendo-a entender que aquilo era uma tentativa frustrada de dizer sim. Ela entendeu. Pelo menos eu espero, porque ela contou pra família inteira que o “Guilherme arrumou uma namoradinha”.

Pra vocês terem noção do meu trauma, vou ilustrar isso com uma historinha traumatizante. Nono ano. Início do ano. Eu tava “ficando” com uma menina da mesma série. Ela era baixinha. Bem baixinha. Tipo, eu sou baixinho e ela bate no meu ombro. E ela tem cabelo vermelho. Coisa bem discreta, veja você. Mas ela é super gente boa. Mesmo depois de termos terminado, apesar daquele clima horrível que é inevitável não ter, ainda somos amigos.

Eu tenho franja. Daquelas bem emo, caída na cara. Desde que me entendo por gente faço esse penteado, mas agora ta mais na escrachado já que tou deixando o cabelo crescer. Imagine então, um emo e uma menina de cabelo vermelho “ficando” na escola. Na escola, tudo bem. Têm banheiros interditados para isso, oras! O problema era quando já tinha algum casal no banheiro e a gente tinha que ficar fora da escola. Eu moro exatamente em frente a escola. Se minha mãe olhasse pela janela, decidisse tomar um ar ou simplesmente fosse na escola com o único e principal intuito de fuxicar a minha vida, eu estava perdidinho. E o pior, é que ela adora fazer isso. E pra piorar MAIS AINDA, tinha um casal que tava no início do namoro, todo dia ocupava o banheiro. Sérinho, eu imagino que tenha alguém lá em cima que fica me observando, só pra quando eu me dar bem em alguma coisa, ele me sacanear. Sempre que eu me dou bem uma vez, eu me ferro vinte! Meu deus! Terei uma síncope um dia desses, espera só.

Eu não ficava mais com a menina. Eu mal ficava abraçado com ela. Arrumei uma posição que, caso minha mãe visse, seria um ato de três movimentos ininterruptos: levanta o braço, coça a cabeça, acena pra ela. Sou um gênio, pode falar. Uma vez eu fui levar ela até em casa. Eu tenho outro trauma, mas esse a minha mãe impôs à força. Tem uma loja de violão aqui perto de casa, e eu adoro violão. Uma vez, depois da aula, eu e uns amigos decidimos ir lá. Passados vinte minutos, estávamos lá, imóveis, fascinados com a beleza daquela Lês Paul marrom madeira. Depois de uma transe interminável, o gelo foi quebrado, paramos de sonhar e fomos seguir o caminho da roça. No meio do caminho, começo a ouvir uma doida gritando. Achei que fosse só mais um mendigo que teve os miolos fritos depois de dormir com a cabeça no chão de 40ºC que é esse meu Rio de Janeiro fedido. Ignorei. O som foi aumentando. Decidi olhar pra trás. O que eu vejo? Oras! Uma baixinha de 1,50cm, chorando, berrando com toda a voz que lhe era possível, pronunciando meu nome inteiro, fazendo ameaças das mais cruéis possíveis e babando. Babando MUITO. Em mim. Só porque eu fui na loja do violão perto de casa. Meus amigos pegam ônibus e saem da cidade, ela dá esporro em mim por ter ido na loja do outro lado da rua!

– GUILHERME COMO VOCE SAI DA ESCOLA E NÃO ME AVISA? PASIJSAISAIOSAJSAIOASJOI
– Mãe, eu fui ali do lado 20 minutinhos, oi
– MENINO, EU NAO SABIA ONDE VOCE TAVA, EU QUASE MORRI, ESTOU NERVOSA, ESPERA CHEGAR EM CASA!
– err… tá, né.

Engraçado é que ela manda eu esperar chegar em casa JÁ me “batendo”.

Então, fui levar a menina até em casa. Não até em casa, propriamente dito. Ia levá-la até um ponto específico – nomeado vulgarmente por “buraco”, já que é um espaço subterrâneo com cheiro muito forte de urina, fezes, fezes molhada de urina e difunto, cheio de vendedores de DVD’s copiados e “plantas” – e de lá, ela ia seguir o caminho pra sua casinha feliz e alegre. Esse caminho era mais curto que o da loja do violão. Percorri o caminho de mãos dadas com a menina. É incrível que quando não é pra ninguém te ver, TODOS te vêem. QUATRO vizinhos meus me viram! E o pior, três eram mulheres fofoqueiras que ficam horas e horas conversando com minha mãe sobre a vida dos outros, veja você! Engoli saliva a seco, sérinho. No final de tudo, minha mãe nem descobriu. Eu nunca mais levei a menina no “buraco”.

Mas sabendo do meu probleminha com esse “alguém” lá de cima, decidi terminar com a menina. Terminar o que nunca tivemos, mas abafa o caso.

Ah vai, eu tenho a Nathie pra isso. Né?

NÉ?!

Anúncios

24 Responses to “Timidez, WTF”


  1. 1 Weslly 11/11/2008 às 12:45 am

    Eu não tenho namorada nem franja, veja você. 😦

  2. 2 Lucas 11/11/2008 às 6:17 pm

    /\
    Talvez se você tivesse uma vida social ;D

  3. 3 Almeida 11/11/2008 às 6:24 pm

    @Lucas

    playsson.

  4. 4 erich 11/11/2008 às 6:46 pm

    E a timidez é mais forte que vc ???
    Um simples sentimento ???

  5. 5 Almeida 11/11/2008 às 7:37 pm

    @erich

    oi?
    Eu consigo superar ela, só que…demora um tempinho, sacas?

  6. 6 Matheus Alonso 12/11/2008 às 3:17 pm

    onde você vai parar…

  7. 7 fmm94 12/11/2008 às 7:36 pm

    “Desde que me entendo por gente faço esse penteado”

    Tu começou a se entender por gente esse ano? Pois tu só começou a fazer essa porra ai esse ano, seu cabelo era pior que o meu, oi.

  8. 8 fmm94 12/11/2008 às 7:40 pm

    Outra coisa…eu nunca vi ninguém ficando no banheiro não o,o

  9. 9 Julea. 12/11/2008 às 7:55 pm

    não sou baixinha , tenho altura mediana ok

  10. 10 Almeida 12/11/2008 às 8:56 pm

    @Fernando

    você me conhece a 6 meses, pegue sua língua e enfie no seu orifício anal. E claro que você nunca viu ninguém no banheiro, vais pra casa assim que toca o sinal.

    @Julea

    baixinha, baixinha :B

  11. 11 Matheus Alonso 12/11/2008 às 11:06 pm

    Almeida nunca foi gente, the truth has been revealed.

  12. 12 Almeida 12/11/2008 às 11:54 pm

    Nunca fui nem nunca serei. FACT.

    Sou superior a essa raça. 🙂 FACT TWO.

  13. 13 fmm94 13/11/2008 às 12:43 am

    Eu te conheço a 1 ano o,o
    E mesmo assim, na maior parte do ano eu fiquei na escola depois da aula e mesmo assim nunca vi ninguém se pegando no banheiro. Alias, quem vai pra casa quando toca o sinal é você o,o

  14. 14 fmm94 13/11/2008 às 3:40 pm

    Ah…lembrei
    É o banheiro lá da praça da jaqueira O:

  15. 15 João Vitor 15/11/2008 às 5:19 am

    the truth has been revealed?!?!?!?
    VOCÊ TÁ BRINCANDO COMIGO NÉ?!

  16. 16 Almeida 15/11/2008 às 12:03 pm

    Quando eu digo que sou o melhor em inglês da turma você não acredita, né safado?!

  17. 17 Matheus Alonso 18/11/2008 às 10:40 pm

    Ah, errei, e daí? D:

    Acontece, um errinho aqui, um errinho ali.

  18. 18 Matheus Alonso 18/11/2008 às 10:42 pm

    GTFO…Zoeira

  19. 19 Maria Julia Sampaio 30/10/2009 às 12:12 am

    eu queria ter ido nesse show do mcfly 😦

    – oi, eu sou a autista que nao comenta nada com nada

  20. 20 Bianca 10/12/2009 às 4:16 pm

    Minha timidez é tão grande que tenho vergonha de falar no telefone! É, lixo eu sei…

  21. 21 biikmcr 03/02/2010 às 4:24 pm

    Minha timidez é tão grande que tenho vergonha de falar no telefone! É, lixo eu sei… +1

  22. 22 Nath 04/07/2010 às 11:37 pm

    Minha timidez é tão grande que tenho vergonha de falar no telefone! É, lixo eu sei… +1


  1. 1 A primeira a gente (sempre) quer esquecer « Nerd Calculista Trackback em 29/10/2009 às 9:06 pm
  2. 2 A primeira a gente (sempre) quer esquecer « Nerd Calculista Trackback em 22/12/2012 às 11:57 pm

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Atualmente:

Música: Canção da Noite
Banda: Fresno
Livro: Sherlock Holmes
Série:
How I Met Your Mother

Destaques

Um rolê em Madureira: 918 e 919 nunca tiveram uma diferença tão grande na minha vida. Essa diferença somado com a insano desejo do destino de me foder, causou uma peripécia de tremer as cuecas.

Ensino Médio deturpando sonhos:

Apesar do Ensino Médio ser repleto de conhecimentos babacas os quais nunca terão a menor utilidade em nossas vidas, ele pode desmentir algumas informações as quais fizeram você acreditar ser verdade por toda sua vida.

Adão era digno de respeito: Além de não precisar usar cuecas e dar a primeira bimbada da história, Adão ainda não precisa viver momentos constrangedores pelo fato de existir outras pessoas no mundo. Porque falamos tanto de Jesus tendo um herói bíblico desses?



Para ler mais dos textos menos piores do blog, clique aqui.

RSS Twitter

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

Gostou de um texto?

Mande para o Uêba

Ou pro LinkLog

Ou pro Ocioso.

  • 656,571 visitas

%d blogueiros gostam disto: