Assina meu Death Note?

Qualquer ser humano com todos os fatores do cérebro em perfeito estado, sente mesmo que inconscientemente um ódio alheio para com pessoas que sintam prazer ou até mesmo não percebam quando lhe enchem o saco. Isso é normal das pessoas. Quer dizer, não sei se você pode ter como normal a vontade de que alguém morra estraçalhado no meio da rua com todos os ossos moídos e a cabeça rodando a 50km/h na roda de um trem depois de ter sido atropelada. Mas pelo meu ponto de vista, é algo normal sim sinhô.

Pessoalmente, sinto que deveria ser um serial killer. Eu devo ter sido uma pessoa muito fria em uma vida antepassada – se é que esta merda de vida antepassada realmente existe. Eu não acredito, mas veja você -, porque eu ando pela rua encarando as pessoas e sussurrando para mim mesmo “se esse morresse não faria falta”. Isso é normal? Eu realmente não sei.

Apesar desses pensamentos um tanto quanto … cruéis, acho que não seria uma tarefa fácil exterminar todos aqueles seres que não merecem um local na minha memória. Sério, se cai em minhas mãos um Death Note da vida, em alguns segundos passariam milhares de nomes a serem escritos, mas na hora do vamos ver só uma meia dúzia iria para onde Judas perdeu as botas.

“Ô menino, como assim?! Tudo que você precisa é escrever um nome e PIMBA! O bicho bate as botas. Tu é viado, é?” Não, amiguinho nordestino, eu não sou viado. No caso de eu ter o poder de tirar a vida da primeira pessoa que me vier em mente, eu poderia acabar cometendo atrocidades por ver características ruins das pessoas, sem perceber que eu, apesar de poucas, hehe, também tenho algumas dessas características.

Mas como eu já tou aqui a uns 10 minutos e ainda não cheguei no assunto principal do texto, sem mais delongas, abordo agora o grupo de pessoas que sem pestanejar teriam o nome escrito no meu Death Note.

Playssom

Já analisei minuciosamente as características dos seres que atendem pelo pseudônimo de Playssom e afirmo com toda a certeza possível: Se depender de mim, a pista que playsson’s vão estar “livres pra bombar” é a do necrotério. É assim que eles falam? Bombar? Que merda, hein champs.

E que venham os comentários sobre minha personalidade preconceituosa e egocêntrica.

Eu REALMENTE odeio os playssons. Eu conheço vários devido ao fato de estar numa escola de riquinhos que não se conformam com o fato de terem pouca melanina no tecido epitelial e se transformam em pseudo-rebeldes e quase alcoólatras só para torrar a paciência dos pais e parecer mais descolado no seu meio de acéfalos. E acredite, não é nada legal.

Playssons acham que dividir saliva com o máximo possível de pessoas do sexo oposto é motivo para se sentir superior aos outros, que conseguem manter uma relação estável com apenas uma pessoa durante um longo período de tempo.

Playssons acham que passar a noite em baladas pegando todas as pseudo-prostitutas que aparecem pela frente e “virando todas” é legal, mas eles não pensam na prova que eles tem no dia seguinte, nem no trabalho que os filho da puta tem que comparecer às 6 da matina.


Playssons precisam ficar alguns minutos com a cabeça debaixo d’água. A força.

Atendentes da Billa Bong/C&A/Quebra Vento e etc.

Num tem coisa mais chata que você querer cortar caminho no shopping pela C&A e vem aquela mulher anormalmente peituda e pateticamente maquiada te oferecer um cartão C&A. Aí então, você diz que já tem um, apesar de não ter, e esta, sacando rapidamente a sua calúnia, retruca MANDANDO você atualizá-lo/trocá-lo/obter um novo para a sua coleção.

Na verdade, tem uma coisa mais chata sim. Quando você passa na frente de uma Quebra Vento e o atendente feio para caralho, cheio de espinha e cabelo mais duro que pau de tarado manda você comprar um presentinho pra sua namoradinha. Esse é mais chato porque você não pode encarar indiscretamente os seios do cara, já que ele aparentemente, não tem. Se eu fosse comprar um presente pra minha suposta namoradinha, te garanto que não seria sua roupa, nem na sua loja, muito menos com você, então, vá pastar magrelo duma figa.

Funkeiros

Taí raçinha pra ser chata. Funkeiros. Eu vivo cercado de funkeiros. Todos os lugares que eu olho tem funkeiros. Se eu fecho os olhos para ignorá-los me passam um daqueles carro-auto-falante tocando o anúncio sobre a nova super melhor e mais bombada festa do clube tendo como principal e única trilha sonora, nada mais, nada menos, que o funk.

Pessoas de baixa renda tem tendência a ser funkeiros, já que o funk é conhecido como “som do gueto” ou coisa do tipo. Ou é o rap? Ou o Hip Hop? Num sei, eu odeio todos mesmo. E como eu disse no item 1, os mauricinhos que me cercam na escola, querendo se meter a aventureiros, festeiros e coisas do tipo, estão SEMPRE presentes nos baile funk da cidade. Isso está diretamente ligado ao fato de toda segunda feira a escola inteira estar cantarolando em VOZ ALTA “vai sentando”.

Noobs

Vide regras para reconhecer um noob.

Anyway, eu poderia ficar dias aqui falando e falando e falando, mas não. Eu não vou. Porque eu não tou falando, tou escrevendo, rá.
Então, eu poderia ficar dias escrevendo sobre as pessoas que eu odeio – que convenhamos, são muitas -, mas esse assunto não ta legal. Ta uma merda. E tem um prato de camarão me esperando. Xau pocêis.

[edit]Espero que eu não tenha deixado a imagem errada sobre mim nesse post. Eu não sou preconceituoso – não por completo – e nem queria que TODOS os funkeiros, TODOS os playssons e TODOS os atendentes morressem. Afinal, eu não conheço todos. Como vou odiar quem eu não conheço?

Só quis deixar claro que não prezo nem um pouco a presença dessas pessoas no meu campo de visão, muito menos na minha vida.

Anúncios

8 Responses to “Assina meu Death Note?”


  1. 1 Márcio 20/09/2008 às 9:56 pm

    Essa intolerância toda esta parecendo uma síndrome de Hitler. A vida em sociedade, significa conviver com diferenças, somos todos diferentes, isto é um dos significados de sociedade.

  2. 2 Almeida 20/09/2008 às 10:24 pm

    @Márcio

    Não, amiguinho. Não é intolerância. É falta de paciência.
    Se eles não se fizessem presentes em minha vida, eu os ignoraria sem problemas.

    E síndrome de Hitler? Nunca ouvi falar, vou googlear, mas só pelo fato de ter uma síndrome com um nome tão foda desses já alimentou meu ego.

  3. 3 Pedro 21/09/2008 às 5:38 am

    ASHUASHUSHAS
    cara, playsons realmente merecem morrer

    Antigamente tinha menos paciência com eles, mas ainda não gosto deles
    E é preconceito mesmo

    Admito que nem li o resto do post, só os tipos que vc levaria ao DN

    :B

  4. 4 Matheus Alonso 22/09/2008 às 3:29 pm

    Não dê explicações no final…a gizelle não voltará aqui D:

    Gostei do seu post, mas faltou eu aí, porque você me odeia, e eu vou chorar muito, me trancar no banheiro e bater punheta pro resto da vida as lágrimas /emo

  5. 5 Almeida 22/09/2008 às 3:31 pm

    @Alonso

    não foi só pela Gizelli. Muitas pessoas vieram dizer que sou um preconceituoso assassino. O outro ali até me arrumou uma síndrome. O_O

  6. 6 Matheus Alonso 23/09/2008 às 5:32 pm

    LOL, eu vi, mas, bem, os que vem lá daquele tópico no orkut não estão acostumados com sua degradação as qualidades, vontades e defeitos dos outros, mas com fins educativo e divertidos. Falei bonito D:

  7. 7 Lucas 16/12/2009 às 10:17 pm

    É vc tem razão playssons merecem morrer só por causa du jeito deles. Mas tenho pena, pois eles não tinham estilo próprio e as garotas mais gostosas os ignoravame por isso recorreram ao Bonde da Stronda e cia. As atendentes não deveriam morre pois é u trabalho delas, elas precisam vender. Já os atendentes magricelas com cabelo duro e espinha por toda a cara merecem morre não apenas por serem chatos, mas também por ficarem chutando as coisas tipo: a namorada de um cara acabo me MORRE e ele está voltando pra casa após receber a noticia e vem aquele animal lembra da maldita namorada morta do cara. Já os noobs, eu acho que faltou naquelas regras pra reconhecer noobs que você escreveu, que eles só sabem fala de JOGO online e quando você joga com ele, o animal tem level baixo e ainda te pede itens (falo isso pois jogo jogos online). Bom gostei do post e repito MORTE AOS PLAYSSONS.

  8. 8 linguarudoo 09/12/2010 às 9:37 pm

    affs
    cara vc tem as mesmas idéias que eu ..
    dá uma olhada no meu blog..
    http://linguarudoo.blogspot.com
    eu critico praticamente as mesmas coisas que você.
    no dia que for começar a chacina, me chama?…


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Atualmente:

Música: Canção da Noite
Banda: Fresno
Livro: Sherlock Holmes
Série:
How I Met Your Mother

Destaques

Um rolê em Madureira: 918 e 919 nunca tiveram uma diferença tão grande na minha vida. Essa diferença somado com a insano desejo do destino de me foder, causou uma peripécia de tremer as cuecas.

Ensino Médio deturpando sonhos:

Apesar do Ensino Médio ser repleto de conhecimentos babacas os quais nunca terão a menor utilidade em nossas vidas, ele pode desmentir algumas informações as quais fizeram você acreditar ser verdade por toda sua vida.

Adão era digno de respeito: Além de não precisar usar cuecas e dar a primeira bimbada da história, Adão ainda não precisa viver momentos constrangedores pelo fato de existir outras pessoas no mundo. Porque falamos tanto de Jesus tendo um herói bíblico desses?



Para ler mais dos textos menos piores do blog, clique aqui.

RSS Twitter

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

Gostou de um texto?

Mande para o Uêba

Ou pro LinkLog

Ou pro Ocioso.

  • 652,575 visitas

%d blogueiros gostam disto: