Geek: O Nerd Carioca-Paulista

Após ler todo o histórico de posts do naturista, imagino(e espero) que já tenha imaginação o bastante para escrever um post a la-início do blog – ou seja, um post decente.

Outro dia eu tava pensando no tempo em que tive que morar no interior de São Paulo. Interiorano já tem tendência a ser um bicho grosso e fechado, com cariocas então, nem se fale. E eu senti isso na pele.
E aos leitores paulistas-interiorânos, não tomem isso como uma ofensa, tô só generalizando.

Tenta imaginar você, aos sete anos, aquela época onde você só tinha duas professoras, uma pra matemática e a outra pra estudos sociais/português.

Imaginou?

Imagina logo, porra.

Então, agora que você já imaginou, imagine essas duas professoras te odiando. Odiando mesmo, a ponto de declarar em alto e bom som que te odeia e que no ponto de vista delas você é a verdadeira reencarnação do capeta – pra uma escola católica isso não é uma coisa boa, se você estuda numa escola ocultista, imagine-a te chamando de Maria Madalena.

Tá, agora imagina você, no auge dos seus sete aninhos num prédio onde TODOS, menos o teu vizinho de porta e uma moça gorda do terceiro bloco te odeiam. Imaginou?

Tá, agora imagina o titio geek no meio dessas pessoas o odiando, com 7 aninhos, parecendo um esperma – eu era feio pra caralho -, fazendo merda adoidado. Sério, nunca fiz tanta merda na minha vida.

Não imaginou? Puta merda…

Já imaginando que você não ia imaginar, imaginei esse post. Vou contar detalhadamente algumas das merdas que eu fiz nessa época. Pelo menos todas as que eu lembro, as que eu não lembrar eu vou postando com o tempo…

Preciso nem dizer que eu me fodo em TODAS as histórias, né?

Velho assassino

Todo prédio, vila, quarteirão, rua, cu do mundo, tem um velhinho extremamente mal-encarado. Devido à falta de simpatia emitida por tal senil, gera-se milhares de histórias, cada uma mais descaradamente fantasiada que a outra, sobre esta pessoa.

Como já foi dito várias vezes, titio geek – peguei a maldita mania do Naturista de me autonomear de tio – sempre foi uma criança madura para sua idade. Enquanto os pivetinhos criavam todos os tipos de anedotas sobre o pobre velhinho, eu ria da cara deles na maior cara-de-pau possível.

Até que certo dia, os caras extrapolaram quando disseram que o velho tinha puxado uma faca e corrido atrás do Gustavo – que por acaso era um gordo folgado demais, antes a história tivesse se concretizado e o velho enfiado umas facadas no seu obscuro furico.

Eu, aventureiro que só, cheguei perto do velho – que se encontrava tirando as compras do carro – e bem simpaticamente falei “Oi velhinho, tudo bom?”.

Não o devia ter feito.

Sério, o cara me deu medo. Ele tinha um olhar malígno do mal maléfico que faria Chuck Norris dar duas piscadas – uma no olho esquerdo e outra no direito – antes do Roundhouse Kick.

Todos os viadinhos que estavam atrás de mim se mijando de medo do coroa saíram correndo mais rápido do que caganeira depois de almoçar na casa da tia-avó Josefa. Eu, como num sô bobo nem nada, fui atrás deles que nem um mongolóide, tentando tomar o máximo de distância possível do velho e seus olhos de águia. Este por sua vez, continuou com as compras.

Só paramos de correr quando chegamos no quarto andar – de escada – do terceiro bloco, sendo que o velho morava no primeiro. PRIMEIRO.

E como nos filmes, depois da ação, tem a consequência. Diferente dos filmes, comigo a consequência SEMPRE é ruim.

No final das contas,minha mãe acabou descobrindo dessa história – até hoje ela não me disse como – e me deu um bronca daquelas que se me contassem eu não acreditaria, já que aquela história da faca REALMENTE era verdade.

E é claro, que eu fiquei imaginando:

1º Puta que pariu, como ela descobriu?

2º Puta que pariu, eu chamei um esfaqueador de criancinhas sedento por sangue de velhinho. E ELE MORA NO MESMO PRÉDIO QUE EU.

3º Como seria Gustavo se o velhinho o tivesse esfaqueado? Garanto que ele não tiraria onda por ser mais gordinho que eu …

Por enquanto só lembro dessa, titio geek tá meio coroa e esquece das coisas fácil, mas depois eu lembro de alguma história do nerd carioca-paulista e descrevo aqui.

Anúncios

10 Responses to “Geek: O Nerd Carioca-Paulista”


  1. 1 João Vitor 04/09/2008 às 1:18 am

    Gostei do post e acho que o Naturista te deu a força (ui)

  2. 2 fmm940 04/09/2008 às 7:08 pm

    seu plagiador -o-o

  3. 3 Almeida 04/09/2008 às 7:09 pm

    porque diz isso? D:

  4. 4 Matheus Alonso 04/09/2008 às 7:57 pm

    que post?

  5. 5 Flávia 16/02/2009 às 7:54 pm

    Olá,

    quero te mandar um convite por e-mail…me de um endereço..obrigado

  6. 6 Almeida 16/02/2009 às 8:06 pm

    @Flávia

    hein? Convite pra que? oiq/
    Brigado, nem preciso de viagra… ainda.

  7. 7 Flávia 17/02/2009 às 2:44 pm

    Olá..gostaria de te enviar um convite por email..vc pode me passar?

  8. 9 giih :) 25/10/2009 às 12:31 am

    HAUISHAIUSHIAUSHAUISHUAIHSUAIHS eu ri pacaráaaaaaaaai 🙂

  9. 10 @marinholeticia 05/02/2010 às 12:45 pm

    Ameeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeei cara eu cagaria nas calças de medo SHUDHASUDAHSUDH’
    amo voce almeida *-*


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Atualmente:

Música: Canção da Noite
Banda: Fresno
Livro: Sherlock Holmes
Série:
How I Met Your Mother

Destaques

Um rolê em Madureira: 918 e 919 nunca tiveram uma diferença tão grande na minha vida. Essa diferença somado com a insano desejo do destino de me foder, causou uma peripécia de tremer as cuecas.

Ensino Médio deturpando sonhos:

Apesar do Ensino Médio ser repleto de conhecimentos babacas os quais nunca terão a menor utilidade em nossas vidas, ele pode desmentir algumas informações as quais fizeram você acreditar ser verdade por toda sua vida.

Adão era digno de respeito: Além de não precisar usar cuecas e dar a primeira bimbada da história, Adão ainda não precisa viver momentos constrangedores pelo fato de existir outras pessoas no mundo. Porque falamos tanto de Jesus tendo um herói bíblico desses?



Para ler mais dos textos menos piores do blog, clique aqui.

RSS Twitter

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

Gostou de um texto?

Mande para o Uêba

Ou pro LinkLog

Ou pro Ocioso.

  • 652,687 visitas

%d blogueiros gostam disto: