Otakus e afins

Se há um lugar para encontrar pessoas completamente sem-noção e muitas vezes desprovidas de alguma relação afetiva com qualquer outro ser humano é um evento de animê.

Não gosto muito de esculachar os otakus, partindo do princípio que vossa majestade, eu, sou de certo modo um otaku. E antes que você acerre as sobrancelhas e mostre o dedo do meio para o monitor exigindo os 53 segundos que você perdeu lendo estes dois parágrafos de volta, deixe eu me explicar. Porra.

Não, eu não me visto de naruto e saio por aí pulando com cerca de 4 – sasuke, sakura, rock lee e kakashi, creio eu – amigos pulando pelas ruas e gritando “Yaa, sou um ninja!”. Muito menos tenho 153 kilos e metade disso em acne.

Gostosaaaaaaas!

A intenção era um cosplay de Sailor Moon … eu acho.

Devido à raça superior a qual estou submetido, consegui extrair todas as partes boas da arte de ser um “otaku”. Por exemplo, estourar minha mesadinha em mangás, tipo Death Note, que por acaso é muito mais interessante do que estourar minha mesada numa playboy. E não, eu não sou gay. Mulher pelada qualquer um que tenha um computador – ainda que seja um Windows 94 – pode ver, você vai socar uma bulaxa durante 5 minutos, grudar todas as páginas da revista com seus “filhos” e jogar a revista fora – ou jogar no meio da rua e rir do retardado que pegar. Mangás, por outro lado, é entretenimento ilimitado, onde você pode ler durante no mínimo uma hora – EU leio em uma hora, mas pelo ponto de vista onde quase todos os brasileiros de idade parecida com a minha são semi-analfabetos que levam horas para ler uma tirinha de “oi, sou um pato”, e ainda lêem errado, a quantidade de minutos levados para terminar de ler a revista chega a números inimagináveis.

Sim, eu também vou à eventos onde há pessoas vestidas igual ao seu personagem favorito. Mas com o único e principal intuito de comprar aquele mangá de gantz – que por acaso tem mais mulher pelada que a playboy, não contem pra minha mãe – com desconto de R$3,00 à edição.

Esses eventos são divertidos. 90% dos otakus são nerds sem infância muito menos vida pessoal. Meus irmãos. Há dês de divertidíssimos campeonatos de Guitar Hero II – onde os nerds esculacham até o próprio Yngwie Malmsteen jogando uma música dele mesmo – à otakas – feminino de otaku – super gostosas com aqueles apetrechos – que vão dês de rabinhos à asinhas de Deviling oferencendo beijos, abraços e apertadas de bunda por míseros 10 centavos para que as mesmas possam comprar mais asinhas de deviling e munhequeiras do Evangelion. Elas sabem usar o corpo que tem.

O último evento que teve a honra de minha ilustre presença foi o Animê Family 2007, cujo maior acontecimento foi o show do Kouji Wada. Sim, aquele cara que cantava as músicas do Digimon em japonês veio aqui no Brasil para entreter Otakus desocupados num sábado à noite.

eu fui:D

Nesse mesmo evento, teve o melhor e mais desgraçento campeonato de Guitar Hero que eu já ousei participar. Estava eu, preparado pra arrasar aqueles nerds filhos duma poota quando descobri que não podia jogar de joystick, só podia jogar de guitarra. Na época eu ainda não tinha guitarra. Resumindo, YYZ no médio me rendeu uma pontuação de 70% e vaias inacabáveis que junto com o odor de suor e cabelos mal lavados fizeram eu chorar. Mentira que eu chorei, mas foi humilhante e aquele cheiro fez meus olhos ficarem vermelhos. É uma mistura de suor, com uréia e uma pitada de merda raspada na cueca. Horrível.

As diversas salas de exibição também foram uma fonte de diversão tremenda. Um amigo do meu irmão – ele é um nerd com boas fontes – é dono de um site lá onde se baixa animês e desenhos nonsense. Ele nos conseguiu cadeiras bem na frente duma sala escurinha e com o ar condicionado ligado no máximo para assistirmos às trocentas temporadas de South Park. Foi divertido, menos a parte do ar condicionado, fiquei resfriadão.:( E eu tenho quase certeza de que tinha gente transando lá no fundo da sala. Estranho, já que eu posso afirmar que não havia nenhuma mulher no recinto.

E agora, após ler essa porra toda vocês entendem porque eu nunca tenho dinheiro?

Anúncios

7 Responses to “Otakus e afins”


  1. 1 alonsocity 26/06/2008 às 5:52 pm

    O Cúmulo da vagabundagem cômica: esse post.

  2. 2 Almeida 26/06/2008 às 5:52 pm

    Afonfo, como você é cruel ToT

  3. 3 Aiani 18/07/2008 às 2:03 am

    meu Deus, quem eh vc garoto???
    ahhh… nada a v, pelo que vc disse, ateh parece que todas as otakus “usam o corpo”

  4. 4 Almeida 18/07/2008 às 2:50 am

    Eu não disse isso. Eu disse que as otakus que usam, são bem vidas. xD A maioria das otaku nem tem corpo pra usar -q

  5. 5 Ellen 13/01/2009 às 1:43 am

    “Mas com o único e principal intuito de comprar aquele mangá de gantz – que por acaso tem mais mulher pelada que a playboy,….”

    COM CERTEZA.

  6. 6 pumpmagic 30/08/2009 às 2:13 am

    own, eu amo essa música do vídeo *O* meu animê favorito será digimon forever and ever xD

  7. 7 miguel rude 30/03/2010 às 5:39 pm

    assino embaixo tudo que disse…do aula de desenho , vou pra evento..mas pq trablho com isso e preciso da grana dos otakus que esqueceram de crescer…quisera eu que tivesse essas ai de abraços de dez centavos por aqui!
    voce deveria fazer um mangaloide sobre essas aventuras descritas ai.
    faria sucesso.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Atualmente:

Música: Canção da Noite
Banda: Fresno
Livro: Sherlock Holmes
Série:
How I Met Your Mother

Destaques

Um rolê em Madureira: 918 e 919 nunca tiveram uma diferença tão grande na minha vida. Essa diferença somado com a insano desejo do destino de me foder, causou uma peripécia de tremer as cuecas.

Ensino Médio deturpando sonhos:

Apesar do Ensino Médio ser repleto de conhecimentos babacas os quais nunca terão a menor utilidade em nossas vidas, ele pode desmentir algumas informações as quais fizeram você acreditar ser verdade por toda sua vida.

Adão era digno de respeito: Além de não precisar usar cuecas e dar a primeira bimbada da história, Adão ainda não precisa viver momentos constrangedores pelo fato de existir outras pessoas no mundo. Porque falamos tanto de Jesus tendo um herói bíblico desses?



Para ler mais dos textos menos piores do blog, clique aqui.

RSS Twitter

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

Gostou de um texto?

Mande para o Uêba

Ou pro LinkLog

Ou pro Ocioso.

  • 655,908 visitas

%d blogueiros gostam disto: