Ahh, nárnia…

Desculpem por ter mantido o blog desatualizado durante esse tempo. É que dia 31, como irei dizer agora sem muitos detalhes, eu fiquei ‘ocupado’, dia 1º eu quase não fiquei no pc e hoje, aqui estou eu, de novo novamente.

 

Não quero entrar muito em detalhes do dia 31, já que foi um dia onde ocorrera coisas que não dizem muito respeito aos meus leitores não-amiguxos, partindo da incógnita que quase todos os meus amigos estavam lá, e quem não estava já sabe dos míseros detalhes pelo msn. Tanto eu quanto o Eddy nos encarregamos de não deixar escapar nada, nem mesmo um fio de cabelo – e olha que ele tem muitos.

 

 

Mas se tem uma coisa que eu tento me conformar desde o dia em que minha querida mamãe me soltou para fora de seu corpo como se fosse uma aliviada depois de tomar uma caixa de tamarine é que, de hoje até o dia em que o sol virar uma supernova e a radiação da combustão de hidrogênio consuma totalmente a atmosfera do nosso planeta, o que tornará discussões extremamente curtas porque ninguém consegue simultaneamente prender o fôlego e exigir que a cama seja milimétricamente arrumada e eu esteja em casa alguns segundos antes da hora marcada para que quando terminar de fechar a porta dê exatamente o horário marcado, ela vai estar presente na minha vida, muitas das vezes pra acabar COMPLETAMENTE com a beleza e a graça do dia, e muito raramente para presenciar um fato que prove minha inocência como simples girino – o que daria na mesma coisa caso não ocorrece, afinal, se ela poe na cabeça que eu tô errado, eu posso provar por A + B que to certo e ela continua dizendo que tô errado, isso mesmo que você está pensando, uma mistura de kilos de ignorância com toneladas de orgulho.

 

E bem, tinhamos acabado de ‘ver’ o filme, quando decidimos comer uma pizza, nos despedimos das pessoas que por algum motivo o pai estava mais chato do que normalmente e obrigou-a a ir embora mais cedo e lá fomos nós para a praça de alimentação, em busca da adorada e idolatrada pizza que eu estava esperando dês do momento em que minha mãe abriu a porta e começou a mandar eu levantar da cama pois já eram 11:40.

Ficamos por volta de 15 minutos mendigando lugares para sentarmos, o que não deu em nada, pois estava lotado.

Eddy estava com seu par. Raphael estava com seu par. Eu estava segurando vela. Quando eles começaram a se pegar, bem discretamente, sem precisar me esquivar das indiretas fui-me-indo para algum lugar com sinal para que enfim pudesse ligar pra minha mãe e explicar pra ela porque eu não liguei para a mesma no meio do cinema.

Depois de tomar mais uma bronca para a minha coleção, movi-me em direção ao recinto alimentício do shopping, para mendigar mais uma mesa. Lá encontrei Raphael, Eddy e seus pares, desolados, por terem levado esporro do segurança pelo fato de estarem na maior das putarias no meio do estacionamento.

Enquanto eu estava PEDINDO a pizza, me liga o meu pai avisando que já estava na porta do shopping me esperando. Mas peraí, eu falei que ia ligar pra ele 21:00, contando que ele chegasse 21:30 e ir embora feliz. Mas ele pelo contrário, chegou no shopping 20:30?! Porra, “Pô pai, acabei de pedir a pizza, se eu pedir o tícket de R$8,00 de volta é capaz deles colocarem o famoso dedo do meio na minha cara. Peraí mais um pouquinho, vai.”

 

Sem contestar – o que, de fato, não é uma coisa que meu pai faz muito – ele aceitou dar uma passeada por aí e esperar mais meia hora. O problema é que a pizza levou exatamente meia hora pra sair. 21:05 a pizza saiu, me dei ao trabalho de marcar o horário, só que nessa hora meu pai já estava me esperando na porta de novo. Comi a pizza correndo, e enquanto terminava de limpar os lábios com as centenas de guardanapos que o furtivo Eddy roubara do restaurante, me liga minha mãe e pai fazendo escândalos por estar atrasado mais de 20 minutos. Quando vi o telefone tocando já falei ‘agora fudeu.’. Despedi-me do povo e fui correndo para a porta, onde encontrei meu pai nem um pouco contente de perder ‘300 de Esparta’ que tivera começado às 21:00.

Enfim, tô com medo de pedir pra sair fim de semana que vem.

 

[edit]Porra, ninguém entendeu a piadinha do sol virar uma supernova, depois não querem que eu fique me achando. Siguirinte, galerinha.

Quando o sol virar uma supernova e fuder de vez a atmosfera do nosso planeta, não teria como haver discussões, afinal, não dá pra discutir e segurar o fôlego ao mesmo tempo.
Agora você pergunta “Mas segurar o fôlego porque?”.

Porque porra, vamo estar sem oxigênio. Caiu a ficha? hunf…

Se o dedo de vocês não forem cair, de vez em quando leiam algumas notícias do uol, vá …

Anúncios

4 Responses to “Ahh, nárnia…”


  1. 1 alonsocity 02/06/2008 às 5:42 pm

    Você dramatiza demais, mas de qualquer forma,

    kkkkkkkkkkkkkkk…. se ferrou.

  2. 2 Almeida 02/06/2008 às 5:57 pm

    ._.
    que nada rapaz, te juro que foi assim. Juro mermo. D

  3. 3 N@ndo 02/06/2008 às 8:48 pm

    Eu não estou citado….SEU EMO

  4. 4 Almeida 03/06/2008 às 4:44 pm

    Po, tu não participou da melhor parte e saiu antes da segunda melhor parte. Não merece …


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Atualmente:

Música: Canção da Noite
Banda: Fresno
Livro: Sherlock Holmes
Série:
How I Met Your Mother

Destaques

Um rolê em Madureira: 918 e 919 nunca tiveram uma diferença tão grande na minha vida. Essa diferença somado com a insano desejo do destino de me foder, causou uma peripécia de tremer as cuecas.

Ensino Médio deturpando sonhos:

Apesar do Ensino Médio ser repleto de conhecimentos babacas os quais nunca terão a menor utilidade em nossas vidas, ele pode desmentir algumas informações as quais fizeram você acreditar ser verdade por toda sua vida.

Adão era digno de respeito: Além de não precisar usar cuecas e dar a primeira bimbada da história, Adão ainda não precisa viver momentos constrangedores pelo fato de existir outras pessoas no mundo. Porque falamos tanto de Jesus tendo um herói bíblico desses?



Para ler mais dos textos menos piores do blog, clique aqui.

RSS Twitter

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

Gostou de um texto?

Mande para o Uêba

Ou pro LinkLog

Ou pro Ocioso.

  • 654,611 visitas

%d blogueiros gostam disto: