A pior das piores segundas…

Minha segunda feira já começou extremamente divertida e assim se manteve até o fim do dia como você verá em seguida. Meu celular tocou, mas eu não ouvi e ele parou de tocar enquanto eu continuava dormindo, assim, me obrigando a acordar faltando 10 minutos pra aula começar, sendo que, na minha escola, se chegar cinco minutos atrasado é bye bye.

Lá estava eu, com o cabelo todo pra cima atrás e todo penteado na frente, com a roupa toda amarrotada, e o short mais ou menos no umbigo, me endireitando nos míseros 15 segundos – acho que é menos, mas quando se está com sono você perde a noção do tempo – que eu fico no elevador.

 

Chegando na escola, percebo que todas as pessoas estão com mapas da Europa desenhados a mão, e eu não. Alguns segundos depois me chega a professora de história pedindo “aquele trabalho da primeira guerra”. Que beleza. Aproveitando a deixa, a professora completa “ah! Me entreguem também aquele trabalho que eu mandei fazer sobre o filme da semana retrasada!”. Puta merda, eu não lembro nem o que eu tomei no café da manhã. Ah, claro, eu esqueci que eu não tomei café da manhã, desculpe.

Ela avisa que no dia seguinte impreterivelmente – é incrível como as professoras adoram mostrar que sabem falar palavras grandes, né? – devo entregar os dois trabalhos. Até aí uma dor de cabeça terrível me atinge, talvez pelo fato de eu já ter acordado correndo.
Depois das aulas super animadas de história – MENTIRA ! – vem a aula de português. Oh céus! finalmente, uma aula que dê para se dormir sem se ferrar na prova. Bati um ronco de uns 20 minutos, até que o retardado sentado atrás de mim me dá um soco nas costas e eu acabo pulando da cadeira.

Ah recreio, meu querido recreio. Apesar de eu não comprar nada, não falar com ninguém, nem fazer nada no recreio, ainda assim, é melhor do que ter aula. 30 minutos da minha vida desperdiçados, aiaiai.

Voltei para a aula com a maldita dor de cabeça e agora, uma dor na mandíbula. Eu devo ter dormido de mal jeito no tempo de português.

Aula de matemática, que beleza, a professora percebeu que eu estava coçando demais a cabeça na sexta feira, mas não percebeu que eu estava com a cabeça latejando e que mal conseguia abrir os olhos na segunda. Eu odeio ter que pedir pra ir na farmacinha – é um lugar onde tem os remédios, uma doutora e etc., na escola -, então, eu deixo claro para as professoras quando não estou bem, mas ela não percebeu.

Tempo de física. O professor chega na sala e fala “bem, gente, como teve vários feriados, vamos apressar a matéria.” “MÃÃÃÃS, antes eu queria falar um pouquinho sobre os terremotos ocorridos”, sendo que nossa matéria é Velocidade Média. O pouquinho do professor, foi a aula inteira, me dando assim, tempo para bater mais um ronco e esquecer por alguns segundos que estava com uma dor de cabeça horrível.

Acabou a escola, fui correndo pra casa, já que tava um calor tremendo e eu mal podia esperar para tomar um banho, pra ver se a dor de cabeça, a dor na mandíbula e o calor passavam. Não passaram.

De tarde, tive que estudar para a prova de artes que ocorreria no dia seguinte – que por acaso eu me dei muito bem – e fazer os tais trabalhos de história.

Deu 16:00, 17:00, 18:00 e nada do trabalho acabar. Meus olhos já estavam ardendo – faça as contas, dor de cabeça, dor na mandíbula, dor nos olhos e calor, o resultado não é nem um pouco legal – e eu não conseguia desenhar a Europa em 1915. Cara, é muito complicado, a parte da Hungria/Romênia/Bulgária/Iugoslávia e a maldita Tchecoslováquia ali no meio – que tem um nome grande pra cacete, mas é extremamente pequeno, dando assim, trabalho triplo pra fazer uma letra que caiba dentro do país.

Quando deu 19:00 eu joguei tudo pra cima e entrei no MSN. Pra piorar a situação, chega meu irmão em casa dizendo que TEM que ficar no computador.

Arrumo um filmezinho pra ver, deito no escuro e fecho os olhos…
Acabei dormindo sem saber o que me aguardava naquela madrugada.

 

*****

 

Agora já é terça feira, pois já passou da meia noite. 1:00 da manhã eu acordo sentindo um mal-estar. Por estar cheio de sono não consigo distinguir imediatamente o que é que atrapalhara meu sono. Era dor de ouvido. Depois de meia hora com uma dor de ouvido infernal, eu me rendo e vou às forças superiores, vulgo “mamãe”.

Tomei 30 gotas de um remédio horrível e fui posto para dormir novamente. Mas num deu, tava doendo demais. Daí agente decidiu ir num hospital aqui perto.

Agente deve ter acordado o hospital inteiro, era uma daquelas clínicas pequenininhas que tem um médico e uma atendente, e os dois estavam com uma cara horrível.

Após me analisar por míseros 5 minutos a mulher coloca um certo líquido milagroso em meu ouvido que faz com que a dor diminua, e muito, porém ainda não é nula.

Chego em casa, pulo na cama e durmo na hora.
Duas horas depois minha mãe me acorda “ta na hora da aula”.

Por algum motivo eu tava pingando de suor, o que me fez ter que tomar banho, e novamente sair de casa em cima da hora.

 

*****

Lembra desse post aqui em que eu falei dos interurbanos?
Então, eu estava errado.

Quando a mulher está falando, se você desligar, você não paga.
Eu gastei 20 reais acessando a Internet pelo celular. Agora você me pergunta “que que você ficou fazendo na Internet tempo suficiente para gastar 20 reais?!” . E eu lhe respondo, pequeno gafanhoto, nada.
Eu não fiz nada, exatamente por isso. Eu esqueci de bloquear o teclado do celular, o que fez com que ele sozinho entrasse na Internet e permanecesse o resto do dia.

Ahh, que beleza.

Anúncios

3 Responses to “A pior das piores segundas…”


  1. 1 A. 06/09/2009 às 5:44 pm

    Isso é engraçado quanto tu conta,
    mas quando tu vive isso, aí é complicado.
    Coitadinho do Almeida, deve ter sequelas até hoje.

  2. 2 Maria Clara 07/09/2009 às 2:17 pm

    Nossa,coitado de você…

  3. 3 duda 24/03/2010 às 7:18 pm

    hoje eu acordei em cima da hora e tive que ir a pé pro colegio, com sono, quente, cabelo revoltado, e dor de cabeça. pior, eu levei um banho de um carro, tinha chovido e eu nem sabia –‘ me senti um ‘almeida’ da vida..


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Atualmente:

Música: Canção da Noite
Banda: Fresno
Livro: Sherlock Holmes
Série:
How I Met Your Mother

Destaques

Um rolê em Madureira: 918 e 919 nunca tiveram uma diferença tão grande na minha vida. Essa diferença somado com a insano desejo do destino de me foder, causou uma peripécia de tremer as cuecas.

Ensino Médio deturpando sonhos:

Apesar do Ensino Médio ser repleto de conhecimentos babacas os quais nunca terão a menor utilidade em nossas vidas, ele pode desmentir algumas informações as quais fizeram você acreditar ser verdade por toda sua vida.

Adão era digno de respeito: Além de não precisar usar cuecas e dar a primeira bimbada da história, Adão ainda não precisa viver momentos constrangedores pelo fato de existir outras pessoas no mundo. Porque falamos tanto de Jesus tendo um herói bíblico desses?



Para ler mais dos textos menos piores do blog, clique aqui.

RSS Twitter

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

Gostou de um texto?

Mande para o Uêba

Ou pro LinkLog

Ou pro Ocioso.

  • 654,601 visitas

%d blogueiros gostam disto: